Opinião

A tristeza da alma

Entristece a todos nós ao receber uma notícia sobre a morte de mais uma pessoa que desistiu da vida, e pela forma mais drástica que é o suicídio.
 Todos nós durante a nossa vida, vamos acumulando pensamentos e sentimentos em nossas mentes que nos trazem alegrias e tristezas, em função das situações de vulnerabilidades, e essa nossa vulnerabilidade pode nos levar muitas vezes a perder forças, e não ter coragem para enfrentar os dissabores na vida, e deixar de ter persistência em nossos ideais, e as vezes o golpe duros produzidos pelos sentimentos negativos, pode levar uma pessoa a dar o salto para o fim da vida.

Muitas vezes nos achamos sós em relação aos pactos sócias e em relação a nós mesmos, e são nesses momentos, que as situações diversas fazem com que as pessoas passem a buscar uma fuga, e tentar isolar-se, passa viver de pensamentos fixos de que desaparecer, fugir, partir para o fim e desistir de continuar vivendo, e decide para o drástico fim da vida.
 Mas, é nessa hora que devemos estar ligados a luz divina, com auxílio das orações e atividades religiosas, pois somos partícula dela, a bendita criação de Deus, e através da fé, de repente como num toque de mágica, essa aproximação com as preces pode acalmar as coisas tristes e os desesperos que em certos momentos passamos e até parecem que não tem uma saída, mas é nesse momento que temos que segurar na mão de Deus, querendo ou não, é a presença Dele – que é o grande criador e protetor das nossas vidas, e que é maior garantia para superar a tristeza da alma.
 Sempre haverá passagem difícil nos nossas rotinas, mas devemos ter coragem para enfrentar e ter criatividade para dar novos rumos pela vida, descobrir novas forças e integrar no convívio pessoal e profissional, e deve estar preparados para receber as pancadas da vida e abrir o coração para distribuir e receber amor, que são ações necessárias a serem usadas e que estão dentro de nós mesmos.

É importantíssimo nesses momentos, não usar a solidão como refúgio, basta estarmos livre para sabermos escutar, sentir e entender sabiamente, que viver é um presente diário dado por Deus, mas que só descobrimos quando o desembrulhamos, e a partir daí, passamos a saber lidar com as suas surpresas que é inerente da vida.
 Essa ausência de vida e do vazio nos sentimentos de amar, vira um superdimensionamento em relação aos transtornos que vida nos prega, são coisas difíceis de resolver e que nos deixam tristes, mas temos sempre que lembrar que muito, mais além das coisas ruins, existem coisas muito superiores que podem com certeza, nos fazer muito feliz, no entanto, Deus na sua infinita bondade, nos mostra que somos valentes para continuar vivendo, enchendo-nos de esperança, força, coragem e sabedoria para continuarmos amando a vida de maneira sublime e não, simplesmente existindo, existindo por existir.

Nesses momentos de ausência de tudo, (material e espiritual), é o momento onde mais que nuca, onde devemos decidir pela ajuda da família, e em seguida buscar ajuda de profissionais especialistas na áreas de psicoterapia ou na busca religiosa amparada pelas forças da fé em Deus, talvez a religião seja o nosso maior refúgio, o importante é não viver de fugas ou isolamento, porque sempre haverá alguém para dar uma palavra amiga e uma mão amiga disposta a lhe amparar .
 Sempre tem uma saída para tudo, mas o importante é não desistir nunca da vida, pois somos infinitamente superiores aos nossos problemas, e por isso, temos que nos colocar acima das coisas materiais e não desistir nunca de nós mesmo, amar a vida sempre é o melhor caminho, pratique caridade, pois esta é uma via de mão dupla, e a ajuda que dá, retornará em dobro, e essas ações participativas, com certeza colocará um fim na sua tristeza.

Wilson Carlos Fuáh