quinta-feira, 13/junho/2024
PUBLICIDADE

A herança é um patrimônio financiador da velhice

Wilson Carlos Fuáh – especialista em Recursos Humanos e pesquisador das Relações Sociais e Políticas, Graduado em Ciências Econômicas. 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Todos os filhos devem estar preparados para receber heranças somente pós-morte, porque a expectativa de recebimento de herança em vida é a pior situação que um pai possa administrar nos seus dias mais difíceis,

Diante da cobrança sistemática dos filhos, o idoso fica entre a linha divisória do sentimento de não desfazer do que tem, pois se desfazer das suas reservas fará com que as garantias de uma velhice tranquila desapareçam. A luta por herança em vida, já levou o filho a matar os país e pai a matar filhos. 
         
O filho trabalhador e empreendedor não precisam de heranças, pois com o seu talento saberá acumular riquezas, mas por outro lado o filho sonhador e folgado gastará todo dinheiro que passar pelas suas mãos. 
            
Nos asilos para idosos, estão cheios de exemplos de pais órfãos de filhos, faça uma visita lá e veja quantos velhinhos estão abandonados, as suas visitas aos asilos ao invés de lhe trazer paz, lhe trarão revolta pela falta de respeito aos idosos. 

É muito triste a realidade desses velhinhos carentes de tudo, os asilos estão cheios de pais sem heranças e sem filhos, muitos levam os pais para lá, somente para ficar livre deles, e ali começa uma nova vida, é o começo real do abandono, e começa uma vida de tristeza, solidão e depressão por não ter mais a presença dos filhos e dos netos, e agora o destino é fica ali num lugar isolado e vivendo das recordações da família que um dia ele formou e dos dias que dedicou tudo para dar tudo de melhor aos filhos e tendo trabalhado muito para  preparar os filhos fazer sucesso na vida e apenas pelo seu amor, mas agora só recebeu em troca, a ingratidão, o abando e o desprezo.

De quem é a falha, porque desse desprezo, por isso, só dê aos filhos a sua herança quando a morte chegar, porque todo o patrimônio conquistado pelos pais será para sustentar e uma forma de investimento na sua própria velhice, e assim, não depender da caridade e dos cuidados de outras pessoas estranhas, o valor patrimonial será reservado para pagar profissionais que possam dar ajuda e proteção, e às vezes, até receber um carinho e um cuidado de alguém que nunca viu, porque os filhos sumiram. 

A velhice é o prior momento da vida, pois leva toda a nossa força e todo nosso saber que são substituídos pelo esquecimento, e junto vêm também as dores que nos tira o conforto e o bem estar, e nesse mundo de solidão.

O que resta os idosos abandonados, é fazer reflexões sobre o real entendimento da dor sentimental e do vazio sem nenhuma palavra e sem nenhuma visita, diante dessa ingratidão, os velhinhos se transformam em  verdadeiros corpos sem forças e quase sem almas, mas para aos velhinhos abandonados a esperança de receber uma visita, ficou em algum lugar do passado e o futuro é a proximidade de ser recebido por Deus em outro plano, e pelos asilos cheios da vida, o que resta é ficar esmolando um pouco de carinho ou de uma palavra amiga, mesmo que seja de um estranho.

Mas, isso não regra, porque existem muitos filhos que amam seus pais e que dedicam toda a atenção e carinho até os últimos dias da sua vida, feliz daquele velhinho que tem pelo menos um filho que o ama verdadeiramente.  

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias

O grande erro da MP do Fim do Mundo

É impressionante a fome arrecadatória do governo federal que...

A responsabilidade de governar o Distrito 4440 do Rotary

Receber a missão de governar, com mais de 70%...

A escolha será por exclusão

A democracia ainda é o melhor sistema político do...

A ditadura do preconceito

Somos apenas aquilo que sempre fomos, ou seja, apenas...