Geral

Vaticano quer segredo até a apresentação do Papa

O povo só saberá quem será o novo papa quando o escolhido pelo conclave se apresentar na sacada de seus aposentos, no Vaticano. É o que garante o porta-voz da Igreja, Joaquin Navarro-Valls, que anunciou hoje as medidas de segurança tomadas pelo Vaticano para evitar o vazamento de informações.

“Nem eu saberei o nome até o anúncio oficial”, disse Navarro-Valls. “Será um evento que todos presenciaremos juntos, fiéis, clérigos e funcionários do Vaticano”, completou.

Para garantir o caráter secreto do Conclave, especialistas da Gendarmaria Vaticana já fizeram rigorosas revistas para que não sejam instalados meios audiovisuais de gravação e transmissão externa na capela, de acordo com as normas do Vaticano.

Pouco antes do começo do Conclave será feita a “limpeza eletrônica”, para que os cardeais fiquem incomunicáveis. Depois, os cardeais deixarão seus aposentos e chegarão à Capela vindos da Sala das Bênçãos e depois de atravessar a monumental Sala Régia.

Depois das votações, que devem começar na segunda-feira, as cédulas serão queimadas. A fumaça preta, a que indica que o papa ainda não foi escolhido, será obtida a partir da queima das cédulas, enquanto a “fumaça branca” surgirá da queima das cédulas junto com palha úmida.

Pela primeira vez se uniu à lareira uma lareira auxiliar que permitirá, graças a um mecanismo eletrônico, aumentar a visibilidade da fumaça. A chaminé é nova, de cobre, mede cerca de 15 metros de altura e, através de uma janela da Capela Sistina, chega até o telhado.

Após a escolha, os cardeais e o novo papa seguirão para o local do anúncio, logo após o escolhido selecionar seu novo nome. Nos quarenta minutos que separam a saída da fumaça branca – e o toque dos sinos, novo sinal estabelecido por João Paulo II -, os cardeais devem manter segredo sobre quem foi o escolhido. Só na sacada é que será emitido o “habemus papam”, e o novo líder da Igreja será apresentado.