Geral

Nortão: transportadores querem tolerância de até 12% no peso de cargas na 163 após balança fazer autuações por excessos

O presidente da Cooperativa de Transportadores e Profissionais da Área de Logística e Transporte de Cargas de Sinop (Cooperlog) Cleomar José Immich disse, em entrevista, ao Só Notícias, que não é contrário as autuações feitas pelas balanças móveis estáticas implantadas na BR-163, em Guarantã do Norte (233 quilômetros de Sinop) para punir carreteiros e caminhoneiros com excesso de cargas. No entanto, defendeu tolerância de até 12% no peso bruto da carreta, que varia de acordo com o modelo e fabricante. “Dessa forma, fica mais viável para o motorista não ser multado com excesso de 200, 300 quilos a mais, por exemplo. Queremos que as balanças façam as pesagens por eixo, mas que seja computado com o peso total de capacidade das carretas”, afirmou Immich.

De acordo com o presidente da Cooperlog, a fiscalização nas rodovias é necessária. “Concordamos em ter essas balanças, mas que seja totalizada com peso bruto. Ainda existe alguns motoristas que seguem essa linha de raciocínio de levar peso excedente acreditando que vai ganhar mais com o frete. Mas está enganado porque além de prejudicar a rodovia acaba comprometendo freios, pneus e estrutura do caminhão. No desespero de querer ganhar mais acham que essa é a solução para ganhar mais. No entanto, o desgaste é muito maior”, avaliou.

Conforme Só Notícias já informou, as balanças portáteis estáticas e móveis dinâmicas implantadas em Guarantã do Norte fiscalizaram de março até novembro 3.618 bitrens, carretas e caminhões. 1.420 foram autuados com excesso de peso. Não foi divulgado o valor das multas aplicadas.

O equipamento foi instalado em março. Seis profissionais operam os equipamentos e sistemas associados capazes de aferir o excesso de peso nos veículos de carga, que são provados e homologados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Além de coibir o excesso de carga, os equipamentos têm como objetivo redução de acidentes, aumento da segurança no tráfego e diminuição nos danos do pavimento.

Só Notícias/Cleber Romero (foto: assessoria/arquivo)