Geral

Sinop: bispos e padres da diocese analisam desafios da Igreja Católica no período de pandemia

O primeiro encontro do clero da Diocese Sagrado Coração de Jesus de Sinop, após o início da pandemia, foi esta semana, no Shalon. Sacerdotes de diversas cidades da região participaram com o bispo diocesano Dom Canísio Klaus e o bispo emérito, Dom Gentil Delazari. Canisio manifestou grande alegria com a reunião presencial para fazer avaliações e planejamentos das ações da Igreja Católica. “Há tempo desejava, ansiosamente, este momento” e agradeceu os esforços dos padres no reforço à prevenção ao Covid.

Os religiosos refletiram as ações da igreja em não abrir mão da missão de proteger e defender a vida em todas as circunstâncias. Em grupos, os padres trocaram experiências do enfrentamento à pandemia, em suas paróquias, com suspensão, ano passado e parte deste ano, de missas presenciais e outras atividades como catequese.

“A experiência da doença fez muita gente aproximar-se mais de Deus, talvez, por sentir-se mais vulnerável, frágil e susceptível de contrair o vírus e morrer. Muitas pessoas se sentem imersas no medo, no pavor e nas incertezas… Talvez, ainda que a contragosto, a pandemia tornou-se uma oportunidade para imergir num processo de ressignificação do próprio conteúdo da fé professada e de se perguntar pelo próprio sentido da vida. Será que Deus está feliz com o estilo de vida que levo?”, descreveu um sacerdote, de Sinop, que participou do encontro. “Também foram relatadas as multiplicações de gestos de solidariedade, partilha e proximidade entre as pessoas. No âmbito da família, aproximação e de diálogo entre pais e filhos, e, no plano religioso, nota-se sede e fome de Deus”, acrescentou.

Dom Canísio, após ouvir atentamente os relatos das partilhas, agradeceu o empenho dos padres e das tantas lideranças das comunidades pela seriedade no acatamento e na aplicação dos decretos da diocese e do Poder Público.

No segundo dia do encontro, o padre João Schneider, abordou a Carta Encíclica Fratelli Tutti (todos irmãos), do Papa Francisco, cuja finalidade é lembrar aos cristãos e a todas as pessoas de boa vontade que os valores da fraternidade, da solidariedade e da ética constituem o fundamento para se construir um mundo mais razoável, mais decente, mais ético e mais justo. Trata-se, em última análise, de converter-se ao evangelho porque “o fato de crer em Deus e adorá-lo não é garantia de viver como agrada a Deus”.

O encontro terminou na terça-feira, às 18h, na Catedral, com a celebração da missa Santos Óleos e renovação das promessas sacerdotais. Na homilia, Dom Canísio insistiu sobre a importância vital da comunhão fraterna, da unidade no Espírito e no serviço criativo e incansável junto ao povo de Deus da Diocese do Sagrado Coração de Jesus de Sinop.

Redação Só Notícias