Geral

Setor produtivo manifesta em apoio à Sema e cobra agilidade aprovação de projetos

Em apoio ao evento realizado na quinta-feira, que discutiu a necessidade de melhor aparelhamento e contratações na Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema), a Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt), juntamente com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) e 36 sindicatos filiados à Fiemt organizaram um manifesto pacífico na sede da Sema, ontem.

O ato reuniu mais de 150 pessoas entre empresários, autoridades e funcionários da Sema. O presidente da Fiemt, Mauro Mendes, expressou apoio ao secretário do Meio Ambiente, Luis Henrique Daldegan, e aos servidores da pasta, em razão de instabilidades ocorridas a partir de denúncias contra técnicos no desempenho das atividades profissionais. Ele registrou também o protesto do setor produtivo contra a morosidade na aprovação de projetos de natureza ambiental. Segundo Mendes, essa demora reflete no atraso e na ampliação de empreendimentos novos e anteriores no Estado.

O secretário Luis Daldegan agradeceu o apoio e ressaltou o amparo de grandes instituições no prosseguimento dos trabalhos. “Este foi um movimento muito bem pensado, para que as ações se tornem mais práticas. Precisamos de um retorno rápido”, disse o secretário.

Na ocasião, o presidente do Sindicato dos Servidores da Sema, Osmar Prado de Oliveira, manifestou-se contra a prisão da funcionária do órgão, Célia de Carvalho. “Apesar das dificuldades e injustiças, ainda não arrefecemos. Temos esperança e por isso não nos calamos”, afirmou.

Célia Martins Pereira de Carvalho, técnica da Sema, foi detida pela Polícia Federal em 16 de maio deste ano, durante a operação Mapinguari, que visava desarticular grupos organizados em atividades de extração, transporte e comercialização ilegal de madeiras na região do Parque Indígena do Xingu. O Tribunal Regional Federal da 1ª Região concedeu habeas corpus à servidora no dia 23 de maio.