Geral

Produção de biodiesel tem salto em 10 anos em Mato Grosso

As indústrias mato-grossenses produtoras de biodiesel ofertaram ao mercado consumidor 505,304 milhões de litros do produto, entre os meses de janeiro a julho. Em comparação com o mesmo período do ano passado, a produção cresceu 3,09% sobre o total de 490,125 milhões de litros do biocombustível. De acordo com a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a produção de biodiesel mato-grossense saltou de 6,632 milhões de litros em 2007 para mais de meio bilhão de litros em 2017. O crescimento nos últimos 10 anos chega a 7.519%.

Em Mato Grosso, assim como no restante do país, a soja é a matéria-prima principal para produção do biocombustível. O Estado detém cerca de 22% do mercado nacional de biodiesel.

Atualmente o litro de óleo diesel é composto por 8% de biodiesel, desde 23 de março deste ano, conforme decisão do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE). Até 2019, haverá alteração gradual na composição do óleo diesel com acréscimo de 1% sobre os 8% vigentes atualmente. A mistura obrigatória será elevada para 9% a partir de 1º de março de 2018 e para 10% em 1º de março de 2019, de acordo com o governo federal. Para comercializar a produção de biodiesel, as empresas participam dos leilões de compra realizados pela ANP.

Esta semana, mais uma usina foi autorizada pela ANP para iniciar a produção de biodiesel em Mato Grosso. Com a publicação da Resolução 600 na terça-feira (19) no Diário Oficial da União (D.O.U.), a usina da Caramuru Alimentos, instalada em Sorriso, está apta a produzir e comercializar. Atualmente a Caramuru mantém duas indústrias de biodiesel em Goiás. Com a fábrica de Mato Grosso serão acrescentados 102,6 milhões de litros em capacidade instalada, elevando o potencial de oferta do grupo para 552,6 milhões de litros anuais.