Geral

Presos vão trabalhar na reforma da cadeia de Peixoto Azevedo

Após quase 4 meses de anunciada pelo Governo de Mato Grosso, a reforma na cadeia de Peixoto de Azevedo deve começar no próximo dia 5. A informação foi confirmada, ao Só Notícias, pelo diretor da cadeia, Vanderlei Ferrari, que está otimista com o início dos trabalhos.

“Agora parece que o projeto realmente vai andar. Semana passada, um engenheiro da prefeitura esteve aqui, fez todo o levantamento do que seria necessário fazer, o projeto já está pronto e a data prevista é o início do mês que vem”, salientou.

Só Notícias apurou que a cadeia, hoje com 5 celas, sendo que uma está desativada, não será ampliada, apenas será feita a reforma do prédio. Reestruturação da rede elétrica, hidráulica, forro, paredes, reforço da cobertura com placas de metal, das grades e pintura, constam no projeto. Um muro de 3 metros de altura também será construído ao redor da cadeia. “Vai ajudar bastante na segurança”, acrescentou Vanderlei.

Iniciando em agosto a reforma deve ser finalizada em 4 ou 5 meses. Alguns dos cerca de 40 detentos trabalharão na reforma como forma de diminuição da pena, ou seja, a cada três dias de trabalho será cortado um de pena. Os recursos de R$ 138 mil virão da Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública (R$ 128 mil) e da Prefeitura de Peixoto de Azevedo (R$ 10 mil).

Hoje, existe uma necessidade impreterível de reforma no prédio da cadeia, pois está em estado precário. Todas as paredes têm infiltração, a rede elétrica e hidráulica precisa ser trocada e todas barras de ferro estão se desprendendo por causa umidade. A falta de segurança fez com que, só neste ano, fosem registradas duas fugas e uma tentativa na cadeia. Dos fugitivos apenas um foi capturado e acabou falecendo em seguida por desidratação. Em 16 de fevereiro deste ano também foi registrada uma rebelião, na qual ninguém ficou ferido.

Com apenas 9 agentes carcerários e um apoio da Polícia Militar de Peixoto de Azevedo fazendo a segurança do prédio, a cadeia atende as cidades de Guarantã do Norte, Novo Mundo, Matupá e Terra Nova do Norte.