Geral

“Os 15 anos de cadeia não são suficientes”, diz doméstica em Mato Grosso que teve mãos decepadas por ex-marido

Geziane Buriola da Silva, de 33 anos, disse hoje, em entrevista, ao Só Notícias, que esperava uma condenação maior do ex-marido Jair da Costa, de 34 anos, que foi condenado a 15 anos de prisão em regime fechado, sem direito ao apelo em liberdade, na última sexta-feira, pela 1ª Promotoria de Justiça Criminal de Campo Novo do Parecis (396 quilômetros de Cuiabá) por ter decepado com um facão as duas mãos dela.

“Os 15 anos (de condenação) não foram suficientes pelo que ele fez comigo. Eu estava no júri e acompanhei tudo. Durante o julgamento, fiquei muito nervosa por relembrar tudo que aconteceu comigo (no dia do crime). Por mim, ele poderia ter pegado uma pena maior, mas a justiça não deu”, afirmou Buriola.

O crime ocorreu no dia 10 de 2017, no bairro Jardim das Palmeiras. O denunciado, utilizando-se de um facão, tentou matar Geziane, não obtendo êxito em seu intento criminoso por razões alheias à sua vontade. O relacionamento do casal era público e, na data do ocorrido, eles ingeriram bebida alcoólica durante o dia todo. À noite, após um desentendimento, o denunciado se apossou de um facão e passou a golpear a vítima. Geziane chegou a fugir, mas Jair a alcançou. Ele desferiu golpes no rosto dela, cabeça, abdômen, e amputou as duas mãos e os punhos da vítima.

Jair continuou a desferir golpes contra Geziane enquanto ela estava caída no chão, sendo interrompido por pessoas que presenciaram o ataque. Ele chegou a fugir, mas foi preso em flagrante pela Polícia Militar e, em depoimento confessou ser o autor do delito e confirmou a intenção de matar a companheira. Conforme a promotora de Justiça Lais Liane Resende, o casal já havia se envolvido em situação de violência doméstica anteriormente e o relacionamento era marcado por ameaças de Jair contra Geziane, o que culminou com a tentativa de homicídio por razões da condição do sexo feminino.

Conforme Só Notícias já informou, no ano passado, Geisiane chegou a fazer uma campanha para arrecadar pelo menos R$ 100 mil para adquirir duas próteses para as mãos, mas o valor arrecadado não foi suficiente. Atualmente, está aposentada e trabalha apenas na casa dela.

Geziane Buriola ficou em coma induzido por 22 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e mais 25 dias de internação no hospital São Benedito, em Cuiabá. Ela foi atendida por uma equipe de múltiplos profissionais, entre médicos, enfermeiros, dentistas, fisioterapeutas, nutricionista e fonoaudióloga depois de ser atacada pelo ex-marido a golpes de facão. A cena de violência foi presenciada por uma das filhas dela.

 

Só Notícias/Cleber Romero (foto: reprodução/TVCA)