Geral

Nortão: juiz nega reconsiderar revogação da prisão do acusado de matar motorista em posto

O juiz em substituição legal da Vara Única de Matupá (209 quilômetros de Sinop), Diego Hartmann negou, ontem, reconsiderar pedido da defesa de Darci Rocha, 70 anos, para soltá-lo. Os advogados apontaram falta de estrutura médica para atender o preso que sofre hipertensão arterial, passou mal por mais de 40 minutos e que não havia médico da cadeia de Peixoto de Azevedo para fazer o atendimento necessário. O habeas corpus já havia sido analisado e negado pelo juiz Evandro Juarez Rodrigues, na última segunda-feira.

Hartmann apontou que o fato do acusado “apresentar, em tese, hipertensão arterial, já foi enfrentado pelo juízo que indeferiu o pedido. Ao depois, se é que tal enfermidade existe, certamente não é de tamanha gravidade que implique necessidade de internação hospitalar, haja vista que quando do fato criminoso que lhe é imputado, o acusado estava exercendo trabalho de motorista de caminhão de carga pesada, em local bastante distante de sua residência, o que faz pressupor que, se doença há, esta é de baixa gravidade e razoável controle por meio medicamentoso”.

O magistrado também observou que pelos documentos “colacionados que o acusado encontra-se recolhido em cela de fácil acesso médico, separado dos demais detentos, e está lhe sendo franqueado medicamento para controle da doença que afirma possuir. No mais, a alegada demora de 40 minutos para receber atendimento médico é, por certo, bastante inferior àquela que teria caso estivesse dirigindo seu caminhão nas longas estradas deste Estado, como fazia antes de ser preso”.

O juiz ainda afirmou na reconsideração que o acusado também responde a pelo menos outras duas ações penais em outras comarcas deste Estado por crimes de associação criminosa e falsidade Ideológica, “o que torna evidente a necessidade de garantia da ordem pública com a manutenção de sua prisão”.

Conforme Só Notícias já informou, Rocha Darci foi preso em flagrante acusado de ser o principal suspeito de matar, a tiros, o caminhoneiro Valdecir dos Santos, 49 anos, no pátio de um posto de combustíveis no município, no dia 20 do mês passado. Ele está respondendo por homicídio simples e porte ilegal de arma de fogo. No caminhão dele, encontrado em uma borracharia, os militares localizaram um revólver calibre 32, com uma munição e cinco deflagradas.

Só Notícias/Cleber Romero (foto: reprodução/arquivo)