Geral

Nortão: construção de nova cadeia continua atrasada

O governo estadual aguarda a liberação da Caixa Econômica Federal para licitar a obra do Centro de Detenção Provisória de Peixoto de Azevedo (200 km de Sinop). A confirmação foi feita pela assessoria da Secretaria de Justiça e Segurança Pública. A expectativa é que esse processo de liberação ocorra no prazo de 30 dias.  A instituição bancária que fará o repasse de recursos, analisará o projeto para autorizar a licitação da obra. No início do ano, foi realizado o processo para compra de materiais. Inicialmente, a previsão exposta pelo Executivo, ainda no ano passado, era que a obra iniciasse ainda em fevereiro deste ano. Não foi confirmado novo prazo para conclusão da obra.

O centro, quando pronto, terá 24 celas coletivas (algumas com 8 e outras para até 16 vagas), 8 individuais e, conforme Só Notícias informou, mantém a base de um projeto padrão do Ministério da Justiça. A área destinada para a construção  é próxima de 2,8 mil metros quadrados. A unidade atenderá cerca de 300 detentos. Os investimentos são de aproximadamente R$ 6,1 milhões.

A atual cadeia de Peixoto tem estrutura frágil e houve várias fugas. Neste ano, por exemplo, 10 detentos conseguiram escapar, no último mês, serrando as grades do corredor que dá acesso ao banho de sol e, em seguida, pulando o muro da cadeia. Oito foram recapturados.

No Estado, estão previstas ainda a construção de centros de detenção provisória em Pontes e Lacerda e Juína, para atender cerca de 152 presos cada. Recentemente, houve a inauguração do centro de Tangará da Serra, que também tem capacidade para comportar 152 reeducandos.