Geral

Morre no hospital em Sorriso irmão de empresária em Marcelândia; 3ª vítima do acidente na BR-163

Caio Laudi Ferrari, de 44 anos, morreu, ontem, num hospital particular em Sorriso. Ele estava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O corpo foi encaminhado ao Instituo Médico Legal (IML) para necropsia e liberado por volta das 12h. De acordo com informações de uma funerária, o sepultamento está previsto para ocorrer nesta sexta-feira, às 8h, em Marcelândia. Ele era gerente operacional das empresas do grupo Fistarol, solteiro e tinha um filho.

De acordo com boletim médico, ele teve uma fratura abdominal fechada com perda grande de sangue na cavidade. Foi submetido a cirurgia de laparotomia de emergência ainda no Hospital Regional. Depois, foi transferido para o particular onde apresentava choque refratário. Ontem, por volta das 6h40 foi submetido a manobras de reanimação cardiorrespiratória retomando após 15 minutos. Depois, acabou falecendo.

Ele é a 3ª vítima fatal da violenta colisão frontal envolvendo duas caminhonetes entre Sorriso e Sinop, nas proximidades do trevo de acesso ao município de Vera, na última terça-feira. Sua irmã, a empresária e uma das pioneiras de Marcelândia (200 quilômetros de Sinop), Eliane Fátima Ferrari Fistarol, de 46 anos, e Francisco de Paulo Batista, de 43 anos, morador de Sorriso e comerciante morreram no local. Ele foi sepultado hoje, às 9h, em Sorriso. O corpo de Eliane Fátima foi encaminhado, ontem à tarde, para Marcelândia e o sepultamento ocorreu esta manhã.

O prefeito de Marcelândia, Celso Padovani decretou luto oficial de três dias pelo falecimento da empresária. Ele citou no documento que foi uma “cidadã envolvida com o processo de crescimento e desenvolvimento do município”. O presidente do Sindicato Rural e ex-prefeito de Marcelândia, Arnóbio Vieira de Andrade, “com a família, administrava o Grupo Fistarol (madeireira, fábrica de portas, armazém de grãos e loja). Estamos chocados com o ocorrido. Era uma pessoa fantástica, de coração muito bom. Tinha participações ativas na Igreja Católica, gestora das empresas. A família está estabelecida há mais de 30 anos no município. É lamentável. Uma tragédia e nossa cidade perde muito. São geradores de empregos”, descreveu o ex-prefeito.

Conforme Só Notícias já informou, ela, o irmão e outras três pessoas – sendo um adulto e duas delas crianças – também estavam na caminhonete. Um familiar confirmou, esta manhã, ao Só Notícias, que todos estão internados num hospital particular. “Um dos adultos é marido da Eliane. Uma das crianças precisou passar por cirurgia. Os demais tiveram fraturas, mas estão bem e também devem passar por cirurgia”, disse.

No dia do acidente policial rodoviário federal, Felipe Mesquita, informou que uma  testemunha apontou uma ultrapassagem como possível causa da colisão. “Um motorista de caminhão informou que um dos veículos realizou uma ultrapassagem, possivelmente forçada, porque a gente percebe aqui que é um local de sinalização horizontal seccionado, logo permitido ultrapassar. Então, possivelmente, ele forçou uma ultrapassagem, vindo a causar essa colisão frontal e levar essas duas pessoas a óbito”, afirmou o policial rodoviário.

A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) fez as análises necessárias do local do acidente. Agora, as responsabilidades pela colisão serão investigadas pela Polícia Civil.

 

Só Notícias/Cleber Romero e Lucas Torres, de Sorriso (fotos: reprodução/Marcos Rafael e Osvaldo Pereira - atualizada às 14h57)