Geral

Ministério Público denuncia cinco envolvidos no assassinato de agricultor no Nortão

O Ministério Público Estadual, por meio da Promotoria de Justiça de Vera (82 km de Sinop), denunciou 4 pessoas, por homicídio qualificado, pelo assassinato do agricultor Elizeu Chiodi, 40 anos, e uma por crimes conexos. A morte ocorreu no dia 10 de março do ano passado, no município de Feliz Natal.

Conforme Só Notícias já informou, a vítima havia desaparecido após sair de casa para cobrar uma dívida de 50 mil. O corpo dele só foi encontrado no dia 7 de maio, por um homem nas proximidades do local onde também houve a localização do Fiat Strada branco dele, na região de Santa Terezinha, que é distrito de Nova Ubiratã (169 quilômetros de Sinop), no último dia 20 do mês passado.

De acordo com a denúncia, um dos acusados tinha uma dívida com o agricultor e, com o objetivo de se livrar das cobranças planejou o assassinato, contando com o auxílio dos outros denunciados.

Na data do crime, mediante dissimulação, o suspeito teria induzido a vítima a se deslocar até o município de Feliz Natal, passando a informação de que levaria o agricultor até um comprador de defensivos agrícola, a fim de amortizar o valor da dívida.

O deslocamento da vítima, de Vera a Feliz Natal, foi monitorado pelos denunciados, que se comunicaram durante todo o tempo por meio de ligações telefônicas, além de realizarem grande variação de deslocamento em áreas compreendidas entre os municípios de Vera e Feliz Natal.

Após matarem a vítima com um tiro, os denunciados abandonaram o veículo e o corpo, nas proximidades de uma fazenda, no Distrito de Santa Terezinha.

“Conforme apurado, no dia 7 de maio, 17 dias após ter sido localizado o veículo de Elizeu Chiodi, foi encontrada parte da ossada da vítima, o que foi confirmado após realizado o exame de DNA e reconhecimento de cadáver”, diz a denúncia.

Após a prisão, o denunciado, confessou ter abandonado o veículo e o corpo da vítima na localidade.

Em razão de os denunciados estarem cumprindo prisão temporária, o Ministério Público requereu a conversão em prisão preventiva de quatro deles.

O quinto denunciado, por ter colaborado nas investigações, o Ministério Público requereu a aplicação de medidas cautelares diversas da prisão.

 

Redação Só Notícias (fotos: divulgação)