Geral

Justiça determina prisão preventiva de policial acusado de tráfico em Sinop; da namorada é domiciliar

O juiz Mário Augusto Machado determinou a prisão preventiva do soldado da Polícia Militar acusado de ter envolvimento com o tráfico de drogas em Sinop. A namorada do militar, que tem 21 anos, teve a prisão domiciliar decretada e será monitorada por meio de tornozeleira eletrônica. Os dois foram presos na última quarta-feira (12).

“No tocante à necessidade de manutenção da prisão dos custodiados, consta dos autos que ambos estão dedicados ao comércio ilícito de drogas e, situação mais temerária é em relação ao policial militar, na ativa, se dedica ao comércio ilícito de drogas e associação para o tráfico com sua companheira , revelando-se, ao menos por ora, inadequadas e insuficientes as medidas cautelares diversas da prisão. É importante para a garantia da ordem pública e conveniência da instrução processual”, disse o juiz.

O soldado será encaminhado para o presídio militar de Santo Antônio de Leverger. Conforme Só Notícias já informou, a namorada dele foi localizada no bairro Jardim Maringá. O policial estava em serviço quando foi conduzido pelo tenente responsável pelas guarnições de plantão à delegacia de Polícia Civil.

Quando viu a viatura a jovem ainda tentou fugir, mas foi abordada. Com ela, foi encontrado um invólucro de cocaína, além de maconha, dinheiro e balança. Posteriormente, os policiais foram até a residência onde a suspeita mora com o militar e, no imóvel, foram encontrados mais invólucros de cocaína e dois carregadores de pistola calibre 380. No imóvel, também foi localizado a farda do policial. Com isso, os militares entraram em contato com o oficial responsável pelo plantão, que fez a condução do militar.

O comandante regional da Polícia Militar, coronel Wesney de Castro Sodré, informou, anteriormente, ao Só Notícias, que a polícia já estava investigando o caso e, a princípio, o soldado responderá na justiça criminal e não na militar já que as drogas estavam em sua residência. O comandante reforçou ainda que a prisão está dentro da meta de “tolerância zero” com erros militares.

Só Notícias/Herbert de Souza