Geral

Juíza nega pedido para bloquear R$ 300 mil de empresários acusados de agredir morador de rua em Sinop

A juíza Thatiana dos Santos, substituta na 7ª Vara Juizado Especial de Sinop, negou o pedido para bloquear R$ 300 mil das contas de dois empresários acusados de participar da agressão a um morador de rua. O caso, que ganhou repercussão nacional, aconteceu em abril deste ano, nas proximidades da avenida dos Tarumãs.

A defesa relatou que o homem sofre de depressão profunda desde a morte do pai e que passou a morar nas ruas. No dia 6 de abril, ele estava pedindo dinheiro, quando foi abordado por dois homens em uma Toyota Hilux. Um deles fingiu que iria entregar dinheiro para a vítima, porém, a agrediu, dizendo “vai trabalhar, vagabundo”. A agressão foi filmada pelos próprios envolvidos e postada na internet.

Além de entrar com uma queixa-crime contra os acusados, por injúria, a defesa cobrou o bloqueio de bens para garantir o “ressarcimento dos danos sofridos”. A medida, segundo os advogados da vítima, visa impedir “a dilapidação patrimonial para frustrar a eventual indenização futura”.

Para a juíza, no entanto, apesar da gravidade do caso, os dois acusados são empresários e ambos ganham cerca de R$ 10 mil por mês, não existindo “indícios de que estejam à beira da insolvência”. “Outrossim, também não se encontra presente o periculum in mora, relativo à probabilidade de que, durante o curso do processo, os bens se deteriorem ou se percam, impossibilitando, dessa forma, eventual ressarcimento dos danos advindos do ilícito penal”, ressaltou a magistrada.

Conforme Só Notícias já informou, o vídeo divulgado nas redes sociais mostram quando o morador de rua está em uma calçada e dois param um veículo e o chamam. Ele vai em direção ao carro, e os suspeitos lhe entregam uma nota de R$ 20. Em seguida, ele passa a dialogar com os envolvidos sobre a sua situação atual.

O agressor, que estava no banco do passageiro, segura outra nota de dinheiro e simula entregar mais uma cédula. Ele pede para o morador de rua se aproximar do veículo e pergunta quanto recebe de doação. Quando a vítima se aproxima, leva um soco no rosto e é xingada.

O caso ganhou repercussão nacional e uma das pessoas que mostrou indignação foi o ex-jogador e ídolo do Vasco, Juninho Pernambuco. “Que coisa revoltante. O cidadão de bem brasileiro é o traficante de escravo moderno. A raiva que sinto é tão grande que chega a fazer mal. Se acharem essa pessoa que foi agredida, me coloco a disposição para ajudá-lo e muito”, escreveu, na época.

Em sua conta no Twitter, a atriz Marina Ruy Barbosa Negrão também se mostrou revoltada e lamentou a ação praticada. “Não é possível”, disse ao compartilhar uma publicação com o vídeo da agressão.

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: Só Notícias/arquivo)