Geral

Juiz mantém preso acusado de matar jovem no Nortão por dívida de entorpecentes

O juiz Maurício Alexandre Ribeiro decidiu manter na cadeia um dos acusados de envolvimento na morte de Willian Valente Barbosa, 24 anos. O jovem foi assassinado com dez facadas, na travessa São Paulo, no centro de Terra Nova do Norte (156 quilômetros de Sinop). Dois homens, uma mulher e uma adolescente estariam envolvidos no crime.

Apenas dois suspeitos estão na cadeia. A defesa de um deles ingressou com pedido de revogação da prisão, apontando “inexistência dos pressupostos ensejadores de sua manutenção”. No entanto, após manifestação do Ministério Público do Estado (MPE) pelo indeferimento do pedido, o juiz decidiu manter o réu na cadeia.

“Faz-se necessário pontuar que embora a defesa sustente a existência de predicados pessoais favoráveis face o implicado, tais por si só, não são suficientes para afastar a segregação cautelar quando presente o periculum libertatis, como ocorreu no presente caso em razão da necessidade de preservar a ordem pública, mormente porque além dos delitos praticados pelo enclausurado gerarem intranquilidade social, há de se ressaltar o modus operandi do crime de homicídio, eis que os fatos descortinaram em uma via pública, motivados por uma dívida de entorpecentes, em concurso de pessoas e, ainda, em companhia de uma adolescente”, afirmou o magistrado.

Além de negar a soltura, o juiz ainda marcou uma audiência para ouvir testemunhas e acusados no dia 18 de novembro. Como a mulher acusada de também participar do crime não foi localizada, o processo em relação a ela foi desmembrado (separado da ação penal dos demais acusados).

De acordo com informações da Polícia Militar, Willian chegou a ser socorrido e levado ao hospital municipal, mas não resistiu aos graves ferimentos. Um soldado da PM explicou, ao Só Notícias, que a namorada da vítima presenciou o momento em que quatro pessoas chegaram e chamaram o jovem pelo nome. “Ao atender esses acusados acabaram iniciando uma discussão e atingiram Willian com os golpes”, disse o militar, na época do crime.

As características dos acusados foram detalhadas aos policiais no boletim de ocorrência. O corpo de Willian foi sepultado em Terra Nova do Norte.

Só Notícias/Herbert de Souza