Geral

Juiz determina transferência e cirurgia em São Paulo de criança moradora de Sinop com cardiopatia

O juiz da Primeira Vara Especializada da Fazenda Pública de Várzea Grande Alexandre Elias Filho determinou, ontem, a transferência de Heitor Guilherme Barbosa de Almeida, com 56 dias de nascido, que está internado há mais de 15 dias, numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em Rondonópolis (212 quilômetros de Cuiabá) para o Hospital de Base de São José do Rio Preto (SP) para procedimento cirúrgico de correção de cardiopatia congênita. A transferência ficará a encargo da Central de Regulação Estadual.

“Considerando tratar-se de caso de extrema urgência e gravidade, tenho que a impossibilidade de realização do referido tratamento cardíaco dentro da rede estadual de saúde se contrapõe de forma cruciante à manutenção da vida da criança”, consta no trecho da decisão.

O magistrado também determinou o bloqueio “judicial de R$ 187,2 mil para o custeio do pretendido, junto aos recursos do Estado de Mato Grosso, que será pago mediante ao estabelecimento prestador dos serviços médico-hospitalares”.

Conforme Só Notícias já informou, a criança e os pais são moradores de Sinop. O pai dele, Dener Alves de Almeida, que trabalhava como entregador disse, em entrevista, ao Só Notícias, que o menino “foi transferido de Sinop para Rondonópolis numa Unidade de Terapia Intensiva aérea e respira com ajuda de aparelhos o tempo todo. Se ficar sem, já começa a ficar ofegante corre risco de morrer”, disse.

O pai do menino explicou ainda que antes de receber o diagnóstico da doença, os primeiros atendimentos foram feitos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da André Maggi em Sinop. “Levei várias vezes. A última ele ficou muito roxo. O lado direito do pulmão dele estava todo preto. Ele foi para UTI adaptada. Levei ele por conta num hospital particular, fez exame detalhado e constatou a cardiopatia. A Defensoria Pública nos ajudou e foi feita transferência dele para Rondonópolis”.

A família também está fazendo uma ‘vaquinha virtual’ buscando arrecadar ao menos R$ 200 mil para ajudar no tratamento do menino. Já conseguiram arrecadar cerca de R$ 21,5 mil com ajuda de 266 apoiadores. “Não temos condições e estamos ficando na casa de um amigo da família aqui em Rondonópolis”.

Só Notícias/Cleber Romero (foto: arquivo pessoal)