Geral

Juiz concede liberdade a motoboy investigado pela morte de sobrinho em Sinop

O juiz da Primeira Vara Criminal de Sinop, Mário Augusto Machado, concedeu durante audiência de custódia, ontem à tarde, liberdade provisória ao acusado, de 34 anos, de matar Juliano Inocêncio Sanches, de 25 anos, com golpes de faca, em uma residência, na rua dos Xaxins, no Jardim das Violetas, nesta quinta-feira de madrugada. Consta na análise que o magistrado não verificou a presença dos fundamentos necessários para conversão da prisão em flagrante para preventiva. “As condutas praticadas não abalam a ordem pública, uma vez que não caracterizada a gravidade concreta do crime, repercussão social, maneira destacada da execução, condições pessoais negativas do autor e envolvimento deste com associação ou organização criminosa”.

Machado destacou ainda que o acusado trabalha como motoboy, é casado, tem uma filha e não tem passagens criminais. “Do mesmo modo, nada há nada que justifique a custódia do flagrado com relação à conveniência da instrução criminal e à garantia de aplicação da lei penal, tendo em vista a inexistência de elementos concretos e objetivos que permita supor que, em liberdade, conturbará a colheita de provas, nada indicando, em princípio, que se furtará à aplicação da lei, caso seja colocado em liberdade. Aplica-se ao caso o disposto lhes o direito a liberdade provisória sem fiança”.

O magistrado determinou ainda medidas cautelares com comparecimento mensal em juízo do acusado para informar o endereço residencial e comprovar sua atividade trabalho. Além disso, não poderá frequentar lugares com aglomerações de pessoas e se ausentar da comarca de Sinop sem prévia autorização deste juízo.

A versão investigada é que ocorreu um desentendimento entre o acusado, que era tio de Juliano, que acabou sendo atingido pelos golpes de faca e morreu no local. De acordo com um investigador da Polícia Civil, o homem contou na delegacia que precisou intervir em uma briga envolvendo a vítima e outra pessoa. Com isso, acabou sendo agredido com socos e teve que utilizar uma faca para se defender.

Juliano Sanches trabalhava como motorista em uma empresa distribuidora de produtos. O corpo está sendo velado na capela Renascer. O sepultamento está previsto para hoje, às 10h.

Só Notícias/Cleber Romero (foto: arquivo pessoal)