Geral

Índios caiapós se reúnem com vice-prefeito de Colíder e prometem trancar BR-163

O grupo de índios da tribo caiapós, liderados pelo cacique Megaron Txucarramãe, que protestaram ontem em frente à Prefeitura de Colíder contra o asfaltamento da BR-163 até a divisa com o Pará, disseram que este protesto foi apenas o início de uma grande marcha que deve se espalhar por todo o país. O próximo passo seria o bloqueio da 163 em Guarantã do Norte, onde as obras de asfaltamento devem ser retomadas em breve.

Ontem, eles também se reuniram com o vice-prefeito Edson Salgueiro e com a vereadora Ismaile Donassan, para apresentar suas reivindicações.
Os índios querem chamar a atenção dos órgãos governamentais nacionais e internacionais, como a Organização das Nações Unidas (ONU), Banco Mundial e União Européia para a ameaça de devastação da área de 7 milhões de hectares, que agrega as terras indígenas. Salgueiro achou justa a reivindicação dos nativos e acredita que o projeto de asfaltamento deve ter seu impacto avaliado.

Os caiapós querem ser ouvidos quanto ao empreendimento e acreditam que a obra deve ser concluída, para atender às necessidades econômicas do país, mas antes querem saber qual é a compensação ambiental e social do projeto e também como serão fiscalizadas as margens da rodovia – que passa em meio à floresta – depois do asfaltamento. Eles defendem ainda um programa de longo prazo com ações sustentáveis de fiscalização e vigilância.

A área de influência dos indígenas, de 7 milhões de hectares, abriga 3,8 mil índios em várias aldeias. A mata nativa possui um grande número de nascentes e a biodiversidade preservada.