Geral

Indígenas denunciam morte de milhares de peixes em rio entre Mato Grosso e o Pará

Milhares de peixes de diversas espécies e tamanhos foram encontrados mortos por índios das etnias Panará e Menkragnoti no rio Iriri, que nasce na divisa de Guarantã do Norte (240 quilômetros de Sinop) e deságua no rio Xingu, em Altamira, no Pará. O cacique Megaron Txucurramãea disse, ao Só Notícias, que possivelmente as águas estão envenenadas e está acabando com os alimentos dos indígenas da região.

“Os peixes estão sendo encontrados mortos a pelo menos uma semana. São em diversos pontos do rio. São milhares de peixes. Os índios estão com medo das águas estarem poluídas com algum tipo de veneno. Os peixes estão morrendo e nunca tinha ocorrido isso. Essas duas etnias moram às margens desse rio e vivem da pesca e bebem a água dele”.

Txucurramãea explicou que deve denunciar a ação e cobrar providências no Ministério Público Federal (MPF) em Sinop. “Este problema tem que ser resolvido. Vamos procurar o Ministério Público Federal, Ministério da Justiça, Funai e Ministério da Saúde e Sesai. Alguém tem que ajudar os indígenas Panará e Menkragnoti”.