Geral

Hospital em Sinop suspende atendimentos pelo SUS alegando falta de pagamento

O hospital Santo Antônio, que atende pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), divulgou nota, hoje, informando que estão cancelados os atendimentos de obstetrícia, referência de pacientes nefrológicos e os serviços de oncologia, UTI  adulto e neonatal. E cobra do Estado os repasses dos meses de outubro, novembro e dezembro para retomar os atendimentos normais. Não foi informado quanto o hospital têm para receber referente a estes 3 meses.

“É impossível a manutenção dos serviços, obrigando-nos a suspensão dos atendimentos até o recebimento dos valores, pois recebemos apenas valor referente a produtividade hospitalar do mês de setembro de 2018, assim, o acumulo são de outubro, novembro e dezembro/2018. Infelizmente não obtivemos resposta positiva na solução do problema e assim buscamos meios legais e ajuizamos uma ação liminar para que o Estado de Mato Grosso se manifeste e informe a previsão para os pagamentos em atraso, bem como tudo que se relacionar ao referido contrato’.

O Sindicato dos Profissionais de Enfermagem do Estado de Mato Grosso (SINPEN)  já havia anunciou que vai deflagrar greve na próxima sexta-feira (15), a partir das 7h, em decorrência dos atrasos nos salários de dezembro, janeiro e 13º e duas cestas básicas vencidas e não pagas. O aviso foi publicado em diário oficial do Estado, notificando o presidente da unidade hospitalar e a secretaria estadual de Saúde.

A secretaria estadual de Saúde tem alegado que há grande dívida com diversos credores e que “o passivo atual é de mais de R$ 400 milhões entre fornecedores e repasses do Fundo Estadual para o Fundo Municipal de Saúde.

Ao se posicionar sobre a possível greve de enfermeiros, esta semana, a secretaria apontou que, “especificamente ao Hospital Santo Antônio”,  “há um bloqueio ativo da Justiça do Trabalho que impede a realização do pagamento. Apesar disso, o caso está sendo analisado pela Procuradoria Geral do Estado (PGE), de forma a garantir que a secretaria de Saúde adote as providências devidas após a conclusão do parecer jurídico”.

A secretaria ainda não se posicionou sobre a suspensão parciais dos serviços do hospital.

Redação Só Notícias (atualizada 23:01h em 10/2 - foto: arquivo/assessoria)