Geral

Greve de médicos na Santa Casa em Rondonópolis continua por tempo indeterminado

A greve dos médicos da Santa Casa de Misericórdia completou 7 dias e segue por tempo indeterminado. O presidente do Sindicato dos Médicos em Rondonópolis, Eduardo Nogueiro. informou que eles só retornam as atividades após a secretaria Estadual de Saúde fazer os repasses salariais de pelo menos os meses de janeiro e fevereiro.

Eduardo explica que a falta de pagamento reflete tanto para o corpo clínico quanto para o hospital que não consegue pagar os fornecedores e com isso o estoque de insumos já está baixo. "Esses materiais são necessários para atender os pacientes, sem eles não tem como dar continuidade no serviço".

Em nota, a secretaria Estadual de Saúde disse a execução dos pagamentos acontecerá nesta semana porque, em virtude do feriado nacional, não conseguiu efetuar o pagamento e que a equipe técnica está trabalhando para que todos os pagamentos saiam no menor prazo possível.

Os médicos estão há 4 meses sem receber os salários porque a Santa Casa não havia recebido os repasses feitos pela Secretaria Estadual de Saúde de Mato Grosso e da Prefeitura Municipal, o valor da dívida era de R$ 3,6 milhões. A assessoria da Santa Casa relatou que a prefeitura quitou o débito que tinha com o hospital – cerca de R$ 992 mil.

O corpo clínico do hospital tem 120 médicos que atendem as áreas de obstetrícia, cardiologia, pediatria e UTI's Adultos. A maioria dos médicos não é contratada – trabalha mediante prestação de serviços.