Geral

Filhote de onça resgatado em fazenda passa por tratamento na UFMT em Sinop e deve ser solto em um ano; vídeo

A reabilitação do filhote macho de onça pintada melânica de ao menos três meses está sendo feito pela equipe de atendimento de animais silvestres do Hospital Veterinário da Universidade Federal de Mato Grosso, campus de Sinop. A professora e responsável pelo setor, Elaine Dione Venega da Conceição, disse hoje, em entrevista, ao Só Notícias, que ele deve solto em um ano e todo processo será monitorado. “Imaginando que ele ficaria com a mãe por ao menos 1 ano e 5 meses, se dará nessa fase a soltura. Além disso, o macho é diferente da fêmea que estabelece luta de território. Esse processo é bem complexo e só ocorrerá nesse período. Tem que passar por uma reabilitação. Precisaremos ensinar ele a ser onça já que não tem a mãe”, explicou.

Ainda de acordo com a professora, o animal chegou bastante debilitado no Hospital Veterinário após ser resgatado no município de Paranaíta, no dia 13 do mês passado. “Inicialmente foi feita uma correção da nutrição. Clinicamente conseguimos observar que não é incomum esse estágio para a espécie. Estabelecemos tratamento, coletamos materiais de amostra das fezes, sangue e o estimulamos para se restabelecer. Agora, está com a saúde bem estável”, explicou.

Elaine Dione afirmou ainda que o processo de reabilitação no hospital ajudou na recuperação da visão do animal. “Já enxerga plenamente para idade dele. Naturalmente, a onça jovem tem limitação da visão e, por ter ficado muito tempo sem o leite materno isso prejudicou ainda mais. Basicamente é uma deficiência de cálcio, vitamina A e D que estão ligadas ao leite da mãe. Com o corte muito cedo, eles acabam desenvolvendo essa deficiência visual. No caso desse filhote, acreditamos que já chegamos entre 95% e 100% de recuperação”.

Conforme Só Notícias já informou, no dia que o filhote foi resgatado, por servidores da secretaria de Meio Ambiente (Sema) de Alta Floresta, o diretor da Unidade Desconcentrada de Alta Floresta, Vinicius Rezek, disse que a equipe recebeu uma ligação dizendo que o animal, encontrado na região de pastagem de um sítio, estava muito debilitado. “Um cidadão entrou em contato conosco e disse que estava cuidando de um filhote de onça há uma semana e que o animal foi encontrado desnutrido. Resgatamos o filhote e encaminhamos para o hospital veterinário, que faz os procedimentos necessários para reabilitar e, se possível, realizar a soltura deles na natureza novamente”, explicou, anteriormente.

O melanismo é uma alteração genética rara, explica o coordenador de Fauna e Recurso Pesqueiro da Sema, Christiano Justino. É um aumento concentrado e considerável de pigmentação preta, que ocorre no corpo todo. Também conhecida como onça-preta, a onça pintada melânica tem visíveis as rosetas e pintas típicas da espécie contra o fundo negro da pelagem.

 

 

 

 

 

Só Notícias/Cleber Romero (fotos: Elaine Dione Venega e assessoria)