Geral

Entidade critica INDEA pela demora na classificação de cargas de madeira; longa fila em Cuiabá

Dezenas de carretas e caminhões carregados com madeira estão parados, desde o final de semana, no posto de fiscalização do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), no distrito industrial de Cuiabá, esperando ser feito procedimento de classificação da madeira carregada e que vai para clientes em outros Estados. “O motivo é que o órgão não fez o planejamento necessário para adequar o atendimento em função do início de uma obra para construção do Corpo de Bombeiros na localidade, mesmo tendo recebido notificação sobre a questão”, critica o CIPEM – Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira.

“Pelo grande fluxo de veículos no local, atrasos no atendimento resulta em caos, como o que ocorre neste momento. Em função da situação, o CIPEM entrou em contato com o órgão que alegou não ter recursos para resolver a situação. Enquanto isso, o setor florestal acumula prejuízos com o atraso na entrega de produtos comercializados, agravado pela incidência de mais diárias no transporte. Além disso, a Guia Florestal (GF) tem um prazo de vencimento e, caso a situação de atraso continue, todas as cargas ficarão impedidas de seguir viagem”, criticou a entidade, em nota.

 

Só Notícias (foto: Só Notícias/Vanessa Fogaça/arquivo)