Geral

Engenheiro é solto após reconhecer projeto ilegal de licenciamento no Nortão

Depois de prestar depoimento à Vara Especializada em Meio Ambiente nesta semana, o engenheiro florestal Mauro Gilberto Santin Sagin, tido pelo Ministério Público Estadual como um dos líderes do esquema de venda de créditos para legalizar madeira extraída ilegalmente na região norte do Estado, foi solto. De acordo com A Gazeta, Sagin reconheceu a responsabilidade pela elaboração do projeto de licenciamento ambiental (LAU) e do Plano de Exploração Florestal (PEF) da Fazenda Amazonas, localizada no Município de Itaúba, onde o golpe teve início.

Ele reconheceu ainda a sociedade com gestor ambiental Francisco Carlos de Araújo (também denunciado) num escritório na cidade de Alta Floresta entre os anos de 2002 e 2004. Em 2005 ele passou a atuar para licenciar a área a ser explorada na fazenda. Afirma que vistoriou a área e fez imagens de satélite do estado vegetativo do imóvel. Apesar do trabalho desenvolvido somente em abril de 2006 novamente ele foi procurado para finalizar os trabalhos. Pelo serviço, Sagin recebeu a quantia de R$ 12 mil.

Cerca de R$ 58 milhões foram “movimentados” com a extração em áreas de proteção, dentro de um ano, segundo a polícia. Cinquenta pessoas foram denunciadas por integrar o grupo.