Geral

Empresa será contratada por R$ 22 milhões para ‘gerir’ 321 novos servidores em Sorriso

A prefeitura prevê contratar 321 servidores terceirizados através de uma empresa especializada na prestação de serviço de mão de obra de apoio administrativo e operacional. A contratação terá vigência de um ano, com gasto superior a R$ 22 milhões (mais de R$ 1,8 milhão mensalmente). A definição do pregão presencial será  dia 1º de dezembro.

Para analista administrativo, serão 14 contratações (mês), e a prefeitura pagará mais de R$ 8,4 mil por cada (já o salário base de cada trabalhador será é de R$ 4 mil). Já para técnico administrativo, serão 96 postos e a administração passará mais de R$ 5,8 mil para a empresa, enquanto o servidor tem base de R$ 3 mil. Para assistente administrativo são 61 vagas, sendo que o salário base é de R$ 2,6 mil, enquanto a empresa receberá R$ 5,2 mil.

Para recepcionista, devem ser 56 contratações e a diferença entre a base e o valor pago para a empresa é de R$ 2 mil (R$ 4,2 mil ante R$ 2,1 mil). Ainda serão 20 motoristas de veículos pequenos e médios (prefeitura pagará R$ 5,6 mil e o trabalhador deve receber R$ 2,6 mil). Para veículos pesados, a base é de R$ 2,6 mil, porém a gestão desembolsará R$ 5,8 mil (51 contratações). Por fim, para o cargo de operador de máquinas pesadas serão 23 postos, e a diferença entre o montante passado para a empresa e a base é de mais de R$ 4,8 mil (a base é de R$ 3,5 mil e o executivo gastará R$ 8,7 mil).

Só Notícias constatou, levando em consideração apenas os salários base apontados no edital, que se as contratações não fossem através de uma empresa (um processo seletivo, por exemplo), a prefeitura gastaria mensalmente cerca de R$ 906,6 mil (R$ 934,1 mil a menos que deve gastar através de terceirização). Já no ano, a diferença é de R$ 11,2 milhões (gastaria R$ 10,8 milhões com contratações diretas).

As contratações foram requeridas pelas secretarias municipais de Saúde e Saneamento, de Assistência Social, de Educação e Cultura, de Administração, de Esportes, de Cidades, de Governo, de Obras e Serviços Públicos, de Transportes, de Desenvolvimento Econômico, de Segurança Pública, de Fazenda, e de Agricultura.

Os servidores terão regime de 40 horas semanais. Caso o horário de expediente do órgão seja alterado por determinação legal ou imposição de circunstâncias supervenientes, deverá ser promovida adequação nos horários da prestação de serviços para atendimento da nova situação, como por exemplo cumprir a jornada entre 7h00 e 13h00 horas, de segunda a sexta-feira, uma jornada de 6 horas diárias e 36 semanais.

No edital, constam as atribuições e especificações de cada cargo, além das responsabilidades da empresa, e outros detalhes.

Só Notícias/Luan Cordeiro (foto: Só Notícias/Lucas Torres/arquivo)