Geral

Elefanta entra em quarentena e deve chegar em Mato Grosso em 40 dias

Mara, que vive atualmente no Eco Parque em Buenos Aires, Argentina, será a próxima residente do Santuário de Elefantes Brasil. Ela já está em seu período de ‘quarentena’ e sua transferência para o Brasil está programada para o final do mês ou início de abril.

Mara já teve acesso a sua caixa de transporte para que possa começar a adaptação necessária antes de seu deslocamento ao Santuário. A aprovação de toda a documentação da elefanta Mara para toda a transferência ao Santuário já foi concedida.

A elefanta nasceu na Índia antes dos anos 70 e foi, inicialmente, transportada para a Alemanha. Acabou vindo para a América do Sul, pertencendo a pelo menos três circos, um no Uruguai e dois na Argentina. Ela tem vivido em seu recinto atual desde 1995.

Ela divide seu habitat com duas fêmeas africanas. Elas não compartilham do mesmo espaço concomitantemente, portanto, quando Mara está fora, as outras duas estão dentro e vice-versa. O Ecoparque pagará pelo transporte de Mara.

Recentemente, o santuário teve uma perda. A elefanta Ramba, que viveu muitos anos em Rancagua, no do Chile e foi transportada para Mato Grosso e lutava contra problemas renais não resistiu. Ramba tinha 53 anos e pesava cerca de 3,6 toneladas. Quando desembarcou no aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP) foi transportada em uma carreta para morar no santuário após passar a maior parte da vida em um circo, onde havia denúncia de prática de maus-tratos. A transferência dela para o Brasil foi resultado de uma negociação de anos entre a diretoria do santuário, organização especializada na recuperação e tratamento de elefantes resgatados de cativeiros na América do Sul, além do órgão Global Sanctuary for Elephants (GSE) e a organização Ecópolis do Chile.

Só Notícias/David Murba (foto: assessoria - atualizada 09:09h)