quinta-feira, 18/julho/2024
PUBLICIDADE

Apreendida 1,9 tonelada de peixes em Mato Grosso

PUBLICIDADE

O Juizado Volante Ambiental (Juvam), a Delegacia do Meio Ambiente (Dema) e a Polícia Militar Ambiental apreenderam, hoje, 1,931 tonelada de pescado irregular de Jaú, Cachara e Pacu. Quase todos estavam sem cabeça e com marcas de malha. Algumas fora do tamanho mínimo e em filé, também caracterizam o pescado irregular. Esta foi a segunda grande apreensão na Piracema deste ano, que começou dia 1º de novembro e vai até 28 de fevereiro de 2013, período em que os peixes sobem os rios para procriar.

A primeira apreensão, de aproximadamente 530 kg, foi região do Valo Verde, em Várzea Grande,  A outra foi em uma casa, na Rua Miranda Reis, em Cuiabá, foram apreendidos 1.399 quilos de pescado. Também foram apreendidos 10 frízeres, duas caixas térmicas, balanças e facas, além de um veículo.

O investigador da Delegacia do Meio Ambiente, Luis Carlos Seixas disse que a prisão de uma pessoa e a apreensão dos materiais foram concretizadas por meio de investigações e denuncias. “Estamos monitorando um dos denunciados desde a Piracema do ano passado e aguardávamos uma carga maior para efetuarmos a prisão. Contamos com o apoio do delegado Carlos Cunha para desenvolver as investigações e a participação popular, que nos ajuda denunciando”, revelou o policial.

Os policias exemplificaram o crime com uma peça de Jaú com cerca de 40 centímetros, menos da metade da medida mínima da espécie, que é de 90 centímetros. Além de pequeno, o exemplar tinha marcas características de rede. As cabeças são retiradas para dificultar a fiscalização, mas a pesca é proibida no período de Piracema, sendo liberada apenas a pesca de subsistência feita por famílias de ribeirinhos.

A gestora da Vara de Meio Ambiente, Vera Lúcia Camargo explicou que a Delegacia fará o auto de apreensão e o pescado ainda passará por uma perícia. “Peritos verificam se o pescado ainda tem condições de consumo. Se for constatada a possibilidade, o pescado é doado a instituições de caridade que já são cadastradas em nossos bancos de dados”, ela ainda ressaltou a importância da população participar denunciando. “A população pode entrar em contato para denunciar. Durante todo o período da Piracema o Juvam atua na forma preventiva e também repressiva, e por isso conta com denúncias”, finalizou.

 

 

COMPARTILHE:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias
Relacionadas

Dados de satélite indicam redução no número de focos de calor em Mato Grosso

Dados do Programa BDQueimadas do Instituto Nacional de Pesquisas...

Homem fica ferido em colisão entre carro e moto em Sinop

Um homem ficou ferido em um acidente no setor...

Coruja é resgatada em área de risco por morador de Sorriso

O filhote de coruja suindara (tyto furcata), também conhecida...
PUBLICIDADE