segunda-feira, 4/março/2024
PUBLICIDADE

Vasco vira e vence São Caetano por 3 a 2

PUBLICIDADE

O Vasco entrou em campo, neste sábado, em São Januário, disposto a apagar a humilhação do meio de semana, quando levou 7 a 2 do Atlético Paranaense. Tudo levava a crer que o resultado diante do São Caetano seria mais uma derrota, mas a equipe conseguiu virar um jogo perdido e venceu por 3 a 2.

Com o resultado, os donos da casa chegaram a 15 pontos, deixaram a zona de rebaixamento e passaram a ocupar – ainda que provisoriamente – a 18ª colocação no Campeonato Brasileiro. Já o time do ABC paulista, estacionou nos 24 pontos e caiu para a décima colocação.

A virada pode ser explicada pela determinação vascaína e pela covardia do técnico Levir Culpi, que praticamente abdicou do ataque no segundo tempo. Melhor no jogo, o São Caetano abriu 2 a 0, com gols de Dimba, aos 20 minutos da etapa inicial, e Edílson, aos 28 do segundo.

Quando o zagueiro Éder se machucou, o técnico Renato Gaúcho aproveitou a postura excessivamente defensiva do Azulão, que àquela altura só tinha Edílson no ataque, e colocou o atacante Anderson. Em seu primeiro toque na bola, aos 31, ele serviu Abedi, que descontou.

O gol animou o Vasco, que seguiu pressionando e chegou à igualdade dois minutos depois, em belo chute de Fernandinho. O São Caetano, então, se viu na possibilidade de perder um jogo ganho e o castigo veio aos 46 minutos. Romário roubou a bola na defesa e deixou com Diego, que fez lançamento primoroso para Alex Dias: Vasco 3 a 2.

As duas equipes voltam a campo no meio de semana, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na quarta-feira, o São Caetano recebe o Juventude, no estádio Anacleto Campanella, para se recuperar da derrota no Rio de Janeiro. Já a equipe de São Januário tem clássico com o Fluminense marcado para quinta.

O jogo – A partida começou um tanto morna em São Januário, com as duas equipes se estudando no gramado. Era evidente, no entanto, que o São Caetano era um time bem mais tranqüilo em campo, que tocava a bola com facilidade no meio-campo.

O Vasco, por sua vez, tinha bastante dificuldade para acionar os atacantes Alex Dias e Romário. O Baixinho chegou a ficar sobra de bola após bobeada do adversário e ficou mano a mano com a marcação, mas não demonstrou a eficiência de outros tempos.

Se eram desorganizados no ataque, os donos da casa eram completamente mal posicionados na defesa. Aos 20 minutos, o meia Márcio Richardes fez o que quis na ponta direita antes de cruzar rasteiro. Dimba apareceu entre os zagueiros Ciro e Éder para completar.

O gol não alterou consideravelmente o panorama da partida, mas o Vasco finalmente criou uma chance para marcar, aos 27. Romário recebeu na área, chamou a marcação e rolou para Alex Dias, que mandou no travessão. Em seguida, Renato Gaúcho sacou Júnior e promoveu a entrada de Fernandinho.

O time de São Januário até melhorou no ataque, mas seguiu vacilando na defesa. Márcio Richardes esteve muito perto de marcar depois de puxar contra-ataque e aparecer para concluir. A resposta veio com Diego, mas o primeiro tempo terminou mesmo em 1 a 0 para o Azulão.

– O São Caetano voltou para a etapa final disposto a administrar a pequena vantagem no marcador e praticamente abdicou de atacar objetivamente. Com isso, o Vasco foi crescendo paulatinamente no jogo e criando algumas chances.

Aos seis minutos, Alex Dias, o principal jogador criativo dos anfitriões procurou Romário na meia-lua e o centroavante deixou a bola passar para Fernandinho. O jogador recebeu livre na entrada da área, mas pegou muito mal no arremate.

Renato Gaúcho resolveu, então, apostar em Abedi e sacou Morais, que deixou o gramado bastante vaiado pela torcida. Levir Culpi respondeu de maneira medrosa, fechando ainda mais os visitantes e trocando o centroavante Dimba pelo volante Paulo Miranda.

O jogo permanecia sem grandes chances até o momento em que Éder se machucou e teve de ser atendido fora de campo. Aos 28, o São Caetano aproveitou a vantagem numérica momentânea e Triguinho tramou bela troca de passes com Márcio Richardes, antes que Edílson tocasse para o gol na saída do goleiro.

Renato Gaúcho aproveitou-se do fato de que o Azulão só tinha Edílson na frente e colocou o atacante Anderson no lugar de Éder. Em um de seus primeiros toques na bola, aos 31, o jogador recebeu de Alex Dias e deixou com Abedi, que bateu cruzado para descontar.

O jogo estava quente e não demoraria muito para que os cruzmaltinos chegassem à igualdade no marcador. Dois minutos depois, Ives fez bela jogada pela esquerda e cruzou. Após pequeno bate-rebate na grande área, a sobra ficou com Fernandinho, que acertou o ângulo de Sílvio Luiz.

Quando Márcio Richardes pediu para sair, Levir resolveu ser valente e colocou o atacante Jean, mas já era tarde para mudar o panorama da partida. Já nos acréscimos, Alex Dias recebeu lançamento primoroso de Diego e tocou na saída do goleiro para virar o jogo. Ainda deu tempo de Anderson ser expulso por carrinho em Pingo.

COMPARTILHE:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias
Relacionadas

Festival esportivo é concluído e campeões definidos em Sorriso

A 19ª edição do Festival Esportivo da Praça da...

Cuiabá anuncia novo gerente geral das categorias de base

Rafael Fernandes foi anunciado como novo gerente geral da...

Ainda sem treinador, Cuiabá se prepara para duelos decisivos em mata-matas

Já classificado para semifinal do Campeonato Mato-grossense, o Cuiabá,...

Corrida de verão reúne competidores em Lucas do Rio Verde

A Corrida de verão foi realizada ontem de manhã...
PUBLICIDADE