Esportes

Vasco decepciona, leva virada do Bangu e se complica na Taça Rio

O Bangu garantiu a classificação para as semifinais da Taça Rio ao derrotar o Vasco, de virada, por 2 a 1, em partida disputada na noite deste sábado, em São Januário. O resultado fez a equipe de Moça Bonita chegar aos 15 pontos ganhos e garantir a liderança do Grupo C, sem a possibilidade de ser alcançado pelos outros adversários da mesma chave.

O Vasco ocupa a segunda colocação do Grupo B, com oito pontos ganhos, e depende da derrota do Volta Redonda diante do Boavista para ficar com uma das vagas para a próxima fase da competição. Os gols foram marcados por Anderson Lessa e Marcos Júnior para o Bangu, descontando Tiago Reis para o time de São Januário.

Mais uma vez, o Vasco mostrou um desempenho irregular e acabou castigado com um gol nos acréscimos. Como tem acontecido nas últimas partidas, o técnico Alberto Valentim voltou a ser hostilizado no final da partida. O Bangu mostrou muito empenho durante os 90 minutos. A equipe de Moça Bonita mostrou que tinha condições de conquistar a vitória, o que acabou acontecendo com o gol marcado no final do jogo.

O jogo – O Bangu começou a partida tentando surpreender o Vasco dentro da sua casa. E, aos cinco minutos, Yaya Banhoro serviu Anderson Lessa que chutou forte, mas a bola desviou na zaga e saiu para escanteio. A equipe de Moça Bonita conseguiu quatro escanteios consecutivos e o Vasco não conseguia sair da defesa.

Depois dos sustos iniciais, o Vasco começou a se organizar. Aos nove minutos, após cobrança de escanteio, o volante Bruno Silva cabeceou forte e Jefferson Paulino fez grande defesa. Um minuto depois, Tiago Reis tabelou com Bruno César, recebeu livre na área, mas chutou em cima do goleiro banguense. Na sequência, o time de São Januário desperdiçou outra grande oportunidade quando Danilo Barcelos cruzou da esquerda e Marrony completou para fora, quando tinha tudo para marcar.

Depois dos 15 minutos, a partida ficou mais equilibrada com as duas equipes se alternando na posse de bola, mas sem a criação de jogadas de perigo.

Depois do tempo técnico, o Vasco voltou mais agressivo e , aos 24 minutos, Cáceres cruzou da direita e Tiago Reis emendou de primeira, mas mandou a bola longe do alvo. Dois minutos depois, Bruno César mandou uma bomba e assustou o goleiro Jefferson Paulino, mas a bola saiu.

O Bangu tentou responder com um chute cruzado de Dieyson, mas não conseguiu levar perigo para o goleiro Fernando Miguel.

Aos 31 minutos, o goleiro do Bangu evitou o primeiro gol do Vasco ao defender, em grande estilo, um chute violento, de direita, do lateral-esquerdo Danilo Barcelos.

O time de Moça Bonita tentava mostrar que não estava intimidado pela pressão do adversário e, aos 33 minutos, Yaya Banhoro exigiu boa defesa de Fernando Miguel.

Empurrado pela torcida, o Vasco seguiu atacando e, aos 36 minutos, o pequenino Rossi subiu mais do que a zaga banguense e cabeceou com grande perigo. A bola bateu na rede pelo lado de fora.

Uma cabeçada de Felipe Adão assustou o goleiro Fernando Miguel numa demonstração de que a equipe visitante não se mostrava atemorizada com a pressão do Vasco.

O equilíbrio da partida trazia preocupação aos torcedores cruz-maltinos que pediam mais empenho por parte da equipe dirigida por Alberto Valentim.

E, aos 42 minutos, o Vasco marcou o primeiro gol. Cáceres cruzou, Rossi bateu de primeira e Jefferson Paulino defendeu parcialmente, mas a bola sobrou para Tiago Reis que não teve trabalho para colocar a sua equipe em vantagem.

Os dois times voltaram para o segundo tempo sem alterações. O Vasco se mostrava mais ofensivo e, aos quatro minutos, Rossi investiu pela direita e cruzou para Marrony que dominou com categoria, mas chutou na rede, pelo lado de fora.

Aos 11 minutos, o Bangu chegou ao empate. Marcos Junior cruzou, a bola bateu no braço de Danilo Barcelos e o árbitro marcou pênalti. Anderson Lessa bateu forte e deixou tudo igual.

Logo após o gol do Bangu, o técnico Alberto Valentim colocou o meia Thiago Galhardo no lugar do volante Bruno Silva para tentar tornar a equipe mais ofensiva.

A partida voltou a ficar equilibrada com as duas equipes procurando o segundo gol. mas mostrando pouca objetividade no ataque. Durante o período técnico, a torcida do Vasco pediu a entrada do atacante argentino Maxi López. E o técnico Alberto Valentim resolveu atender e colocou López no lugar de Tiago Reis.

A equipe cruz-maltina ficava mais tempo com a bola, mas encontrava dificuldade para penetrar na defesa do Bangu. Aos 30 minutos, Lucas Mineiro cabeceou para fora após cobrança de falta efetuada por Danilo Barcelos. Dois minutos depois, após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Werley e Maxi López e nenhum dos dois conseguiu finalizar para desespero da torcida.

Para tornar o time ainda mais ofensivo, Valentim trocou o meia Bruno César pelo atacante Ribamar. O Bangu só voltou a aparecer na área vascaína aos 38 minutos em conclusão de Yaya Banhoro, bem defendida por Fernando Miguel.

Nos minutos finais, o Vasco pressionou de forma desordenada, mas foi o Bangu que marcou o segundo gol, aos 47 minutos, através de Marcos Júnior que concluiu, com categoria, um cruzamento de Dieyson.

Gazeta Esportiva (foto: assessoria/arquivo)