Esportes

Procurador decidirá até 6ª se denuncia Operário por suposta venda de resultados no Estadual

O procurador do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), Targus Rigon Weska, informou, há pouco, ao Só Notícias, que até o final da semana deve decidir por oferecer denúncia ou não sobre o inquérito de suposta manipulação de resultado nos jogos do Operário Futebol Clube válidos pelo Campeonato Mato-grossense da Primeira Divisão deste ano.

“O inquérito já foi concluído e estou analisando. Até o final de semana devo ter um aparecer por oferecer denúncia ou não. Se achar que tem fundamento vou denunciar. Posso denunciar a agremiação, o jogador ou jogadores. Até o final de semana terei a resposta”, disse.

Se o procurador entender que não há elementos para denunciar, o processo vai para o procurador-geral. Neste caso, o interessado poderá recorrer manifestação no prazo de três dias. Se o procurador-geral manter decisão contrária a denúncia, o caso será arquivado.

Quase na reta final da primeira fase do Estadual, o técnico operariano, Parma de Oliveira, este também responsável pela direção do clube, procurou a imprensa para denunciar que alguns de seus jogadores foram procurados por integrantes de uma máfia especializada em apostas de jogos para influenciar diretamente nos resultados das partidas do campeonato. Na acusação, Parma apontou o jogador Diego, lateral-esquerdo, como o principal aliciador dentro do elenco do Operário. O atacante Renan Romário, um dos poucos destaques do time no torneio, teria sido procurado por seu companheiro do time, porém, garante ter rejeitado a aderir o esquema.

A denúncia colocou em suspeitas alguns resultados de jogos como a vitória de virada do Clube Esportivo Operário Várzea-grandense pela segunda rodada da primeira fase do Estadual em cima do próprio Operário Futebol Clube, que perdeu de 2 a 1.

Ao todo, o inquérito presidido pelo relator e advogado José do Patrocínio, ouviu 14 pessoas entre árbitros, assistentes, dirigentes e alguns jogadores do Operário Futebol Clube.

Redação Só Notícias (foto: assessoria/arquivo)