Esportes

Operário cede pressão e desiste da contratação do goleiro Bruno

A novela da contratação do goleiro Bruno Fernandes para defender o Clube Esportivo Operário Várzea-grandense, chegou ao fim. Esta tarde, à diretoria resumiu em nota que “devido as manifestações de uma parte da torcida, em especial feminina desistiu da contratação do goleiro”. Uma fonte de Só Notícias, informou que a advogada de Bruno já esteve em Mato Groso reunida o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Carlos Alberto Alves, com o objetivo de provar que Bruno pode conviver e exercer a profissão normalmente fora de Minas Gerais e estava esperando apenas a publicação da decisão.

O Operário estava sobe forte pressão dos torcedores que são contra a contratação do goleiro e até mesmo patrocinadores do campeonato, que já anunciaram que não permitiriam que Bruno vestisse uniforme com sua logomarca nem concedesse entrevista em frente ao painel que contém os nomes das empresas. Ontem, um grupo anti-contratação, fez manifesto nas portas do estádio Dito Souza, em Várzea Grande.

As tratativas de negociação como o goleiro começou quando o Fluminense de Feira de Santana, interior da Bahia, desistiu de contratar o jogador. O clube baiano temeu desgaste com sua torcida, que se posicionou contrária à contratação.

Famosos como Juliana Paes também se mostraram contra a contratação do goleiro por times de futebol com #meuídolonãoéfeminicida. A atriz disse que se inspirou na jornalista Jessica Senra, que viralizou na internet ao defende a imoralidade de colocar um condenado por feminicídio em uma posição de ídolo. A jornalista também disse que qualquer time que o “alçasse a posição de idoso era tão desprezível quanto os crimes que ele cometeu”. Bruno foi condenado em 2013 por homicídio triplamente qualificado.

Ontem, na estreia do Estadual, no estádio Dito Souza, em Várzea Grande, o Operário conseguiu bater o Poconé, pelo placar de 1 a 0.

Só Notícias/David Murba (foto: reprodução/arquivo)