Esportes

Jogador do Sinop defende retomada do Campeonato Mato-grossense

O lateral direito e meia do Sinop Futebol Clube, Juninho Pavi, defendeu, em entrevista,  ao Só Notícias, a retomada do Campeonato Mato-grossense, ‘ assim que houver possibilidade”. O atleta é um dos líderes do grupo e foi um dos principais jogadores do time na campanha da primeira fase do certame. A competição está paralisada desde o dia 17 de março devido à pandemia do novo Coronavírus.

“Acho que deve ser retomado, de alguma forma ou de outra, nem que seja na metade ou final do ano, porque não é justo terminar o campeonato assim e a gente não ter a glorificação dos jogos de mata-mata, que são os mais emocionantes”, destacou Pavi.

O atleta também lembrou a necessidade de se decidir as vagas e acessos que a competição proporciona. “Tem que haver decisão das vagas da Copa do Brasil, e da Série D do Campeonato Brasileiro. Então claro que tem que tomar os devidos cuidados, esperar tudo voltar ao normal, mas acho que todos os campeonatos devem ter continuidade”, expôs.

“Isso é muito prejudicial, já estávamos em uma decisão, agora com essa paralisação perde ritmo de jogo, atrapalha em tudo. Mas sei que temos que respeitar, não tem o que fazer, é uma coisa que agravou todo o Brasil. Agora é se cuidar, se manter em casa, e darmos continuidade ao campeonato quando possível”, declarou Juninho.

O jogador ainda destacou que para os times pequenos a suspensão é ainda mais prejudicial. “É bem pior que para os grandes, porque eles têm dinheiro, então ficar sem receber meio ano não vai acontecer nada na vida dos caras”. “A gente ali estava com os salários em dia, tudo certinho, agora ia para o mata-mata, renda de torcida, arrecadação, tudo isso vai fazer uma falta grande para nós, mas se Deus quiser as coisas vão se normalizar”, apontou.

Atualmente, durante o período de quarentena, Juninho está em Lajeado, no Rio Grande do Sul, passando o período com a família. Mesmo sem jogar, ele garante que os treinamentos seguem em casa para que os danos físicos não sejam grandes. “O treinamento continua, todos os dias têm que fazer alguma coisa, pois vai que retorna de uma hora para outra”. “A gente não sabe o que vai acontecer, porque sempre estão surgindo notícias diferentes, que a CBF vai parar tudo. Envolve times grandes do Brasil, então não sabemos o que realmente vai acontecer”, completou.

Só Notícias/Luan Cordeiro (foto: arquivo pessoal)