Esportes

FMF pode trazer árbitros de outros Estados para trabalhar no Mato-grossense

O tempo passa e a arbitragem no campeonato mato-grossense continua a mesma. Clubes, dirigentes e jogadores continuam insatisfeitos com a arbitragem nas partidas do certame. Os constantes erros e reclamações podem levar a Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) a importar árbitros de outras entidades da região Centro-Oeste a vir trabalhar no torneio estadual, informa A Gazeta.

A intenção do presidente da FMF Carlos Orione é trazer árbitros para apitar clássicos na capital do Estado e algumas partidas consideradas difíceis de serem arbitradas no interior do Estado.

A decisão final sai hoje, dia em que é realizado o sorteio dos trios que vão trabalhar neste final de semana. Apesar de não negar e nem afirmar o desejo de trazer juízes de outros centros, Carlos Orione reconhece que nas duas primeiras rodadas houveram erros técnicos por parte dos trios.

Por exemplo, para o clássico entre Vila Aurora e União marcado para este domingo, dia 13, no Luthero Lopes, pode aparecer o árbitro do quadro nacional da CBF, Elvécio Sequeto, de Campo Grande (MS).

Além do Uni-grão em Rondonópolis, a partida entre Cuiabá e Mixto, no Verdão, também tem grandes chances de ser apitada por algum árbitro de outra federação.

Em recente entrevista ao jornal A Gazeta, Orione chegou a dizer que os erros não estão ligados a moral dos árbitros e nem dos auxiliares. Ele citou as expulsões do volante Elias, do Operário e do meia Cleisson “Rato”, do Mixto, como exemplos. Para ele, Joaquim Lima Neto foi enérgico em demasia ao expulsar os atletas sem antes terem levado cartão amarelo. Na opinião do dirigente, Lima Neto deveria ter, primeiro, advertidos os jogadores e não expulsá-los de campo.

“Evoluimos muito na parte técnica, física e até moral. Não que eles (árbitros) estão errando por estarem mal intencionados, erram em interpretações de alguns lances”, disse, ressaltando que ainda aguarda resposta de Álvaro Scolfaro, presidente do Dom Bosco, a assumir um cargo na atual Comissão de Arbitragem, hoje presidida pelo professor Osvaldo Francisco, o “Bodão”.

O Santa Cruz já pediu o veto de Mário Martins, o Xuxa em seus jogos.