Esportes

Flamengo deve acionar MP contra empresário de Mato Grosso que doou R$ 1 milhão para o Inter

O vice-presidente Geral e da Procuradoria Geral do Flamengo, Rodrigo Dunshee de Abranches confirmou, em uma rede social, que acionará o Ministério Público e polícia contra o empresário, Elusmar Maggi Scheffer. Isso porque o torcedor prometeu, durante entrevista à GaúchaZH, que ‘injetará’ dinheiro no São Paulo para incentivar a vitória contra o Flamengo na última rodada do Campeonato Brasileiro, na próxima quinta-feira.

“Manipulação de resultado sob qualquer forma é crime previsto no estatuto do torcedor, ainda mais quando são jogos da loteria federal. Hoje mesmo vamos encaminhar notícia crime ao MP e à polícia. Esse torcedor pode ser rico, mas vê-se que não é preparado”, descreveu o dirigente.

Para ser Campeão Brasileiro, além de vencer o Corinthians, o Internacional (que tem 69 pontos) depende de um tropeço do Flamengo (71 pontos), com derrota ou empate para o São Paulo. Ambos os confrontos serão na próxima quinta-feira, às 20h30. Sheffer ainda declarou que estudaria com o jurídico como proceder para a possível “mala branca”.

O dirigente do time carioca ainda pediu boicote aos produtos comercializados pelo grupo que o empresário integra, em decorrência de outra declaração durante a entrevista. “Esse MAGGI vinculado ao Inter (com a complacência do clube) disse que no Rio de Janeiro, sabe que será roubado, referindo-se à empresa Maggi. Além da notícia crime contra ele pela promessa de fraude, nosso povo deveria boicotar todos os produtos da Maggi”, publicou.

Elusmar ganhou notoriedade nacional na última sexta-feira, após doar R$ 1 milhão para o Internacional pagar a multa ao Flamengo pela escalação do lateral direito Rodinei, no jogo de ontem. O Colorado acabou derrotado, por 2 a 1, e viu o Mengão assumir a liderança do Brasileiro. Além disso, Rodinei falhou no primeiro gol do Rubro-negro e foi expulso no início do segundo tempo.

O atleta foi emprestado pela equipe carioca ao clube gaúcho até maio de 2021. No entanto, uma cláusula no contrato estipulou uma multa de R$ 1 milhão, caso o jogador entrasse em campo contra o Flamengo. A doação feita por Elusmar foi reconhecida pela diretoria do Internacional, que publicou um agradecimento nas redes sociais, ressaltando que o repasse foi feito “sem qualquer contrapartida”.

O torcedor, que mora em Cuiabá, atua no ramo do agronegócio e é primo do também colorado Blairo Maggi, ex-ministro da Agricultura e ex-governador de Mato Grosso.

Só Notícias/Luan Cordeiro (foto: arquivo pessoal)