Esportes

Diretoria cumpre promessa e dispensa um time inteiro no Mixto

A má campanha no Mato-grossense de Futebol, custou o emprego de vários jogadores na equipe do Mixto. A diretoria cumpriu a promessa e dispensou o time inteiro. A tão esperada reunião da diretoria do Mixto, realizada na madrugada de ontem, resultou exatamente na dispensa de um time inteiro – 11 jogadores foram demitidos pela comissão técnica por deficiência técnica. Só da parceria fechada com o Iraty, clube da primeira divisão do Paraná, seis foram mandados embora, o goleiro Maycon, o zagueiro Pedro Rocha, os laterais-esquerdo Carlópolis e Neto e os meias Bruno e Roberto.

A surpresa ficou por conta da dispensa do atacante Wellington, artilheiro da equipe no Campeonato Mato-grossense com três gols. Ainda complementam a lista o lateral-esquerdo Róbson Lima, que chegou com status de ter defendido o Cerro Portenho do Paraguai na Libertadores do ano passado, o zagueiro Gera, o lateral-direito Edinho Mineiro e o meia Birinha, maior decepção do elenco montado pelo ex-técnico Elzo Coelho.

O meia, vindo do Botafogo de Ribeirão Preto (SP), foi indicação de Elzo Coelho desde do Estadual do ano passado. Birinha não rendeu o esperado nas quatro partidas disputadas no turno e se limitava em cobrar faltas, escanteios e pênaltis.

Da mal sucedida parceria com o Iraty permaneceram o goleiro Vágner, o volante Russo e o atacante Douglas. Na manhã de ontem, o técnico Éder Taques e o diretor de futebol Márcio Pardal viajaram para sondar jogadores a fim de reforçar o elenco para o returno do Estadual. O time só volta a atuar no dia 3 de abril no clássico diante do Operário.

Taques e Pardal vão estar acompanhando jogos decisivos pelos campeonatos Paulista, Mineiro e Gaúcho. Com as dispensas, o pacote de reforços deva chegar com um time inteiro; ou seja, 11 novos jogadores.

“No futebol, o negócio é observar o jogador a olho nu, in loco. Não podemos mais errar em contratações. Se errarmos novamente, não sei…”, assinalou o presidente do Mixto, Fabinho Pinto, ao jornal A Gazeta.

Já Éder Taques, no aeroporto Marechal Rondon, por telefone, se limitou a dizer que é preciso trabalhar muito e contratar jogadores certos às posições certas, a fim de buscar a classificação sem a obrigatoriedade de disputar a repescagem.