quinta-feira, 22/fevereiro/2024
PUBLICIDADE

Cruzeiro e Coritiba empatam

PUBLICIDADE

Depois de conseguir duas vitórias consecutivas, na sua volta ao futebol mineiro, o técnico Paulo César Gusmão conheceu o seu primeiro tropeço, na noite desta quinta-feira, no Mineirão, em partida válida pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Cruzeiro ficou apenas no empate por 2 a 2 com Coritiba.
Adriano e Fred, no último minuto, marcaram para a Raposa. Caio e Rafinha, de pênalti, fizeram para o time paranaense, que chegou aos 17 pontos, ocupando a 13ª colocação na tabela de classificação. Com o empate, o time mineiro somou 21 pontos e permaneceu na 9ª posição, mantendo a distância dos líderes. Na próxima rodada, a Raposa tenta os três pontos diante do Santos, no Mineirão. Já o Coxa, do técnico Cuca, recebe o Flamengo, em Curitiba.

O jogo – A recomendação do técnico Paulo César Gusmão foi seguida à risca pelos jogadores do Cruzeiro. Com uma formação ofensiva, o treinador queria que a Raposa pressionasse o Coritiba desde o início da partida. E foi justamente isso que aconteceu. Além do atacante Fred, Wagner e Adriano se revezavam nas ações ofensivas. Assustado, o time paranaense tentava se segurar na defesa. Porém, o domínio era todo do time mineiro.

Na primeira tentativa de subida ao ataque, logo aos 3, Wagner recebeu o passe e arriscou de fora da área. O chute saiu forte e a bola passou perto do travessão. Um minuto depois, foi a vez de Adriano aparecer no ataque. Maurinho fez a jogada em velocidade pela direita e cruzou para a área, rasteiro. O armador, improvisado no ataque, não perdoou. Pegou de primeira e acertou o canto esquerdo do goleiro Fernando Vizzotto para fazer Cruzeiro 1 a 0.

Mesmo depois de ter aberto o placar, a Raposa insistia no ataque, principalmente com o lateral Maurinho, que descia com velocidade pelo lado esquerdo da defesa do Coritiba. Melhor posicionado em campo, depois de sofrer o gol, a equipe paranaense tentava dar o troco, também pela lateral, com Rafinha, pela direita.

Porém, o time mineiro era mais perigoso, marcando com disposição e tocando a bola com velocidade. E, depois de ganhar a bola no meio-campo, a Raposa assustou novamente o goleiro Fernando Vizzotto. Aos 31, Kelly foi lançado, dominou na entrada da área e tentou o chute. A bola saiu forte, obrigando o goleiro paranaense a fazer a defesa em dois tempos.

A partida era disputada em alta velocidade. Apesar de o Cruzeiro ter maior posse de bola e chegar com perigo ao gol adversário, perdendo chances até para ampliar o placar, o Coritiba encontrava também espaços para subir ao ataque. Porém, faltava tranqüilidade ao Coxa na hora de concluir as jogadas. Quando chegavam próximos ao gol de Fábio, ao invés de tentarem a conclusão direta, em direção ao gol, preferiam alçar a bola na área, facilitando o corte da defesa da Raposa que foi para o intervalo com a vantagem no placar.

No segundo tempo, para evitar o crescimento do adversário, que chegou a equilibrar a partida no final da primeira etapa, o Cruzeiro se posicionou mais na defesa, passando a sair nos contra-ataques. Porém, o Coritiba voltou para o segundo tempo pressionando, buscando o gol de empate, mesmo insistindo nas bolas aéreas. E, contando com as falhas da defesa da Raposa, o Coxa empatou a partida. Aos 8, o meia Caio pegou sobra de bola na área, protegeu bem e chutou forte. A bola saiu rasteira, entrando no canto direito do goleiro Fábio, que não conseguiu evitar o empate.

O gol de empate do Coritiba aumentou a velocidade da partida, que já estava corrida. As duas equipes, sentindo que poderiam chegar ao gol de desempate, partiram para o ataque. Ao contrário de todo o primeiro tempo, o Coxa passou a dominar a partida, criando as jogadas de ataque mais perigosas. Aos 20, depois da cobrança de escanteio, o atacante Alexandre, que teve um gol anulado pelo árbitro carioca Luiz Antônio Silva, subiu mais que a defesa e cabeceou forte, obrigando Fábio a fazer outra boa defesa.

O Cruzeiro tentava dar o troco, mas errava muitos passes, principalmente na armação das jogadas, propiciando os contra-ataques do Coritiba. E, aos 24min, num erro de Argel, o carioca Luiz Antônio Silva marcou pênalti. No lançamento para Alexandre, pela esquerda, Argel se atrapalhou, com a bola dominada, e derrubou o adversário, dentro da área, quando ia perdendo o lance. Aos 26, Rafinha se reabilitou do pênalti perdido contra o Botafogo e virou a partida, fazendo Coxa 2 a 1.

No final da partida, o Cruzeiro tentou, mesmo que desordenadamente, o gol de empate. E conseguiu. Faltando um minuto para o final do jogo, Kelly invadiu a área pela esquerda e chutou forte. A bola passou por baixo do goleiro Fernando Vizzotto e, antes de cruzar a linha, foi tocada pelo atacante Fred que salvou a Raposa da derrota em casa

COMPARTILHE:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias
Relacionadas

PUBLICIDADE