Esportes

Advogada vem a Mato Grosso conseguir liberação para Bruno jogar no Operário

A novela da possível contratação do goleiro Bruno Fernandes para defender o Clube Esportivo Operário Várzeagrandense pode acabar no decorrer desta semana. E o desfecho pode ser um final feliz para a diretoria do ‘Chicote’ da Fronteira, que deseja contar com a bagagem do atleta para a disputa do Campeonato Mato-grossense e Copa do Brasil.

Tendo o empresário mineiro Roberto Moraes como principal gestor do clube, o Operário busca todas as alternativas para contratar Bruno, condenado pelo sumiço e morte da ex-modelo Eliza Samudio em 2010. Na semana passada, a advogada do ex-jogador do Flamengo, Mariana Maglioni, protocolou na Justiça de Minas Gerais toda a documentação em que a diretoria operariana demonstra todo o interesse em dar uma nova chance de ressocialização ao goleiro, que hoje cumpre pena em regime semiaberto em Varginha.

Nesta semana também, Mariana virá a Cuiabá para ter uma reunião no Tribunal de Justiça de Mato Grosso. O encontro com o presidente do TJ, desembargador Carlos Alberto Alves, tem por objetivo de provar que Bruno pode conviver e exercer a profissão normalmente fora de Minas.

Diante de todas as tentativas em cumprir às exigências feitas pela Justiça Mineira, a diretoria do Operário está otimista com a possível liberação para o campeão brasileiro de 2009 pelo Flamengo vir para Várzea Grande. A expectativa é de que até o fim desta semana, Bruno já poderá ser apresentado como principal reforço de peso do clube para esta temporada.

Outro fator que favorece bem a negociação com Bruno é o fato do Operário não ter mais concorrência pelo goleiro. O Fluminense de Feira de Santana, interior da Bahia, desistiu de contratar o jogador na semana passada. O clube baiano temeu desgaste com sua torcida, que se posicionou contrária à contratação.

Pelo Estadual, o Operário irá estrear contra Poconé no dia 21 de janeiro.

A Gazeta (foto: Agência Brasil)