quinta-feira, 13/junho/2024
PUBLICIDADE

Silval tenta 2ª encerrar greve nas escolas estaduais

PUBLICIDADE

O governo Silval Barbosa adiou para segunda-feira (9) a reunião com os trabalhadores da rede estadual de ensino para tentar encerrar a greve nas escolas estaduais que dura 25 dias. Ele pediu um tempo para analisar os estudos sobre o incremento de recursos para a Educação, encaminhados pela Secretaria Estadual de Educação (Seduc), e responder os pedidos dos profissionais.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep), Henrique Lopes do Nascimento, disse que o adiamento da reunião demonstra o descompromisso do governo com a categoria. Ele lembrou que, na segunda-feira (2), quando ocorreu uma reunião com Silval e secretários, foi pedido pressa para que houvesse o atendimento da pauta de reivindicações da categoria, que exige por exemplo, a implementação de política que dobre o poder de compra dos trabalhadores em até 7 anos. “O Silval havia autorizado os 27,2% das receitas para a Educação ao secretário de Ságuas Moraes e na sequência fizemos o grupo de trabalho. Mas, hoje pediu tempo para analisar. Desta forma o que temos a reafirmar é que a greve continua diante da ausência de respostas”.

A assessoria informou que o aumento de 10,41% previsto para os próximos anos poderia ser incorporado aos salários já este ano retroativamente. Henrique disse que a Constituição Estadual prevê 35% dos recursos advindos da receita do Estado sejam destinados à educação e por isso, o governo ignora o mínimo determinado. Ele também disse que a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) não pode ser justificativa para as implementações, uma vez que irregularidades são práticas frequentes dentro da própria folha de pagamento da educação. Os rendimentos dos aposentado incidem sobre a folha, retirando recursos de direito da área.

“Depende única e exclusivamente do governador. É bom deixar claro que nós temos uma greve histórica, com mais de 90% dos educadores aderindo ao movimento. Por isso, aguardamos uma proposta efetiva”, concluiu Henrique.

Nesta sexta-feira (6), a categoria vai participar de uma audiência pública na Assembleia Legislativa, para discutir o rumo da Educação no estado .

COMPARTILHE:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias
Relacionadas

PUBLICIDADE