Educação

Secretária de Educação começa planejar retomada das aulas on-line na rede Estadual

A secretária de Estado de Educação, Marioneide Kliemaschewsk, se reuniu, com os secretários municipais de Educação de Mato Grosso para apresentar via webconferência as medidas adotadas pela secretaria de Estado de Educação (Seduc) no enfrentamento à Covid-19. A reunião contou também com a participação do Conselho Estadual de Educação, União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação e das 98 assessorias pedagógicas do Estado.

O encontro virtual foi para alinhamento sobre o planejamento e estudo de retomada das aulas na rede estadual. “Esse foi um momento para articulação desse trabalho e para estarmos mais unidos, pois os nossos desafios e dificuldades são os mesmos”, explicou Kliemaschewsk, através da assessoria.

A reunião com os secretários antecede outra reunião que será realizada, via Casa Civil, com a Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), prefeitos municipais e Ministério Público Estadual.

As aulas na rede estadual serão retomadas a partir do dia 3 do próximo mês de forma não presencial. Quanto ao retorno das aulas presenciais, ainda não existe uma data definida, pois vai depender da situação da pandemia no estado. “O retorno só vai ocorrer após termos os pareceres das autoridades de saúde do Estado e da Organização Mundial de Saúde que nos possibilite uma retomada com segurança. Estamos cientes de que ainda não é o momento, pois a curva de casos da Covid-19 está bastante acentuada no Estado e nós precisamos ter muito cuidado quanto a isso”, informou a secretária.

Marioneide destacou ainda que desde o mês de abril, a Seduc vem trabalhando com atividades pedagógicas na plataforma digital Aprendizagem Conectada, que foi construída com a participação de profissionais do órgão central da Seduc, dos Centros de Formação dos Profissionais da Educação (Cefapros), Assessorias Pedagógicas, Centro de Apoio e Suporte à Inclusão da Educação Especial (Casies) e unidades escolares, envolvendo 285 professores das diversas áreas de conhecimento.

A partir do dia 03 de agosto, a plataforma será utilizada para as aulas não presenciais, que passarão a ser computadas como carga horária letiva. “Desde que foi criada, a plataforma já teve mais de 15 milhões de visualizações, sendo que 75% dessas visualizações foram de celular. Foram feitos também 6,7 milhões de downloads”, informou.

Para os alunos que não têm acesso à internet a Seduc entrega o material apostilado. Até agora já foram disponibilizadas cerca de 800 mil apostilas para alunos de todo o Estado, incluindo as aldeias indígenas e comunidades rurais e quilombolas. Para garantir a impressão dessas apostilas, a Seduc já repassou às unidades escolares, via Projeto Político Pedagógico (PPP), o valor de R$ 377,7 mil. A projeção para o segundo repasse é de R$ 861 mil.

As videoaulas transmitidas pela TV Assembleia também foram destacadas como uma das ações para atender os alunos de forma não presencial. Essas videoaulas já ocorrem para os alunos do Ensino Médio e agora vão atender também os alunos do Ensino Fundamental, numa parceria com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secitec) e a Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

Outra parceria importante, que vai fortalecer a plataforma Aprendizagem Conectada nas aulas não presenciais, é com a Microsoft Corporation. Por meio da plataforma Teams os professores poderão interagir com os estudantes, compartilhar arquivos e sites, criar blocos de anotações de classe, além de disponibilizar tarefas e questionários.

“A plataforma Teams vai possibilitar ao professor ter contato direto com seu aluno. Através de grupos criados pelo whatsapp e pela plataforma o professor vai planejar, organizar e disponibilizar as suas aulas, além de dialogar com os pais e alunos”, destacou a secretária.

A Seduc já está ofertando a formação continuada para cerca de 16 mil profissionais da educação para trabalhar essas tecnologias com o aluno nas aulas não presenciais. A formação será ofertada em duas etapas pelos 15 polos dos Cefapros, a primeira de 20 a 31 de julho e o segundo, de 17 de agosto a 11 de setembro, totalizando 60 horas.

A metodologia adotada é a perspectiva da aula invertida. O material de apoio está disponibilizado na plataforma Aprendizagem Conectada, no ícone “Orientações”, “Orientações aos Professores”, “Formação” e “Vídeos”. “Estamos vivendo um momento desafiador para a educação num contexto geral. Mas, mesmo diante das limitações, a Seduc tem feito inúmeras ações para que este não se torne um ano perdido na educação”, acrescentou a secretária.

Redação Só Notícias (foto: assessoria/arquivo)