Educação

Reitor confirma obras, fazenda experimental e investimentos no câmpus da UFMT em Sinop

O câmpus da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) em Sinop deverá receber investimentos para conclusão de obras inacabadas e reformas. A confirmação foi dada pelo reitor, professor Evandro Soares da Silva, em uma reunião com o pró-reitor do Câmpus, professor Fábio José Lourenço, e os diretores do Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais (ICAA), professor Carlos Cesar Breda, do Instituto de Ciências da Saúde (ICS), professor Elton Brito Ribeiro, e do Instituto de Ciências Naturais, Humanas e Sociais (ICNHS), professora Larissa Cavalheiro da Silva.

O encontro teve como tema algumas pautas administrativas e de gestão, inclusive, com o anúncio da retomada de obras inacabadas como as construções de laboratórios para o curso de Engenharia Agrícola e Ambiental e do prédio da Farmácia, antiga reivindicação do Câmpus. A conclusão da Farmácia, por exemplo, estava prevista para acontecer em 2012.

O reitor Evandro Soares anunciou também investimentos para a reforma do Restaurante Universitário (RU) e para a ampliação da capacidade de geração própria de energia com a instalação de placas fotovoltaicas de modo a atender quase a totalidade da demanda energética do Câmpus de Sinop.

Para o pró-reitor do Câmpus, professor Fábio Lourenço, a retomada das obras inacabadas vai possibilitar avanços significativos nos cursos de graduação, principalmente, “na qualidade das pesquisas que já são realizadas, propiciando também melhorias na qualidade do ensino e da extensão”. Já os recursos economizados com a geração de energia fotovoltaica poderão ser aplicados em áreas prioritárias definidas pelo Conselho Administrativo e Acadêmico do Câmpus de Sinop (Consin), completou o pró-reitor.

Durante a reunião de trabalho, foi firmado o compromisso de a Administração Superior para dar início à implantação da Fazenda Experimental de Santa Carmem, especialmente por intermédio da Secretaria de Infraestrutura (Sinfra) e Coordenação de Arquitetura e Engenharia (CAE), com a elaboração dos projetos. A proposta é entregar os projetos nas próximas semanas e, logo depois, realizar a licitação, objetivando viabilizar o início das obras ainda neste ano.

Dentre as demandas apresentadas pelo câmpus de Sinop, ficou definido ainda a destinação de recursos para a manutenção dos prédios da unidade, viabilizando a reforma de telhados e de calhas, para evitar as infiltrações e a entrada de água nas salas de aula e nos laboratórios.

O reitor também sinalizou com a possibilidade de investimentos na consolidação do Centro Integrado de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação Tecnológica (CIPIT) e para a construção de um laboratório multiusuário. Além disso, foram definidos encaminhamentos para as demandas apresentadas pelos diretores dos três institutos.

Esteve em pauta ainda a formação de uma equipe multiprofissional para a complementar as atividades realizadas pelos cursos da área da saúde e atendimento aos servidores e discentes do Câmpus. O reitor reiterou ser este também um projeto da Reitoria, em conjunto com a Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP) e da Coordenação de Assistência Social e Saúde do Servidor (CASS). Esta equipe poderá, inclusive, realizar futuramente as perícias médicas, sem a necessidade de deslocamento do servidor até Cuiabá para este procedimento.

O pró-reitor do Câmpus considerou positivos os resultados da reunião com o reitor “já que atendem reformas necessárias e urgentes e retoma obras inacabadas e paradas há quase 10 anos. Os investimentos anunciados contemplam todo o câmpus e são recebidos com muita alegria e comemorados juntamente com os 15 anos do Câmpus de Sinop”.

Foi reforçado ainda a importância do trabalho conjunto. A reunião contou ainda com a participação do pró-reitor Administrativo (Proad), Adriano Aparecido de Oliveira, do pró-reitor de Planejamento (Proplan), Roberto Perillo Barbosa da Silva, e dos gerentes de Pós-Graduação e Pesquisa (GPGP), Marliton Barreto, de Graduação de Extensão (GGE), Roberta Martins Nogueira, e de Administração e Planejamento (GAP) em exercício, Iolanda Francioni Zanini, do Câmpus de Sinop.

Em 15 anos, o câmpus de Sinop já formou 2.623 profissionais, desde a graduação da primeira turma. Atualmente, são mais de 3,2 mil estudantes matriculados em 11 cursos de graduação e 190 estudantes matriculados em cinco programas de mestrados nas áreas de Agronomia, Ciências Ambientais, Ciências da Saúde, Zootecnia e Ensino de Ciências da Natureza e Matemática, 31 grupos de pesquisa, oito projetos e programas de extensão, 55 laboratórios, 60 salas de aula, sete auditórios, um Restaurante Universitário, um Hospital Veterinário e uma fazenda experimental, em Santa Carmem. O corpo docente é composto por 253 professores, dos quais cerca de 80% doutores. São 116 servidores técnicos administrativos.

Os cursos de graduação são: Agronomia, Engenharia Agrícola e Ambiental, Engenharia Florestal, Zootecnia, Enfermagem, Farmácia, Medicina, Medicina Veterinária, Ciências Naturais e Matemática, com habilitações em Química, Física e Matemática.

Redação Só Notícias (foto: assessoria)