Economia

Tarifas dos Correios sobrem 6,2%

As tarifas dos serviços postais dos Correios foram reajustadas em 5,4%, em média, a partir de hoje. O índice de aumento, autorizado por meio de portaria do Ministério das Comunicações publicada hoje no “Diário Oficial” da União, ficou abaixo do IPCA para os últimos 12 meses, que foi de 6,02%.

As cartas comerciais ficaram 6,2% mais caras –passando de R$ 0,80 para R$ 0,85 no caso das mais leves (primeiro porte)–, os telegramas nacionais foram reajustados em 5,6% e os malotes em 0,6%.

O serviço de carta social, destinado à população de baixa renda, e a carta não-comercial não sofreram reajustes, permanecendo em R$ 0,01 e R$ 0,55 (primeiro porte), respectivamente. O valor do telegrama internacional também não foi alterado. Os outros serviços internacionais tiveram aumento médio de 6%.

Os preços dos serviços de Sedex, vale postal, fax, encomenda normal, reembolso, impressos simples e outros em que há livre concorrência no mercado, não sobem agora, mas deverão ser reajustados em novembro, de acordo com os Correios.

O último reajuste das tarifas dos serviços postais foi aplicado no dia 1º de outubro de 2004.

Dos 32 milhões de objetos transportados pelos Correios diariamente, quase 30 milhões são cartas, e 90% delas, comerciais, segundo estimativa da estatal.

As cartas sociais, que custam apenas R$ 0,01, não passam de 10 milhões ao ano.