Economia

Sinop: ainda falta cimento em muitas lojas em Sinop devido à paralisação dos caminhoneiros

A maioria das lojas de construção em Sinop ainda está com falta de cimento apesar do fim da paralisação dos caminhoneiros, que durou cerca de 10 dias nas rodovias de Mato Grosso e outros Estados e que foram totalmente liberadas no último dia 31. O levantamento feito por Só Notícias, esta tarde, em sete empresas, apontou que em apenas uma o produto é encontrado. Em outra é feita venda por cotas, de 40 sacas por clientes. Diversas estão sem produto. A previsão é que o estoque comece a ser normalizado a partir da semana que vem. A saca varia entre R$ 24,40 a R$ 28,99 dependendo da marca.

Em uma das empresas consultas, semana passada chegou uma carga de 500 sacas, mas logo foi vendida. Segundo o vendedor Reginaldo Faria de Macedo, em média por dia são de 250 a 300 sacas vendidas. “Devido à paralisação dos caminhoneiros a fábrica que faz a entrega dos produtos ficou com muitos pedidos acumulados e não está conseguindo fazer a distribuição. Neste momento, os caminhões estão direcionados para os grandes pedidos, mas a partir de semana que vem deve se normalizar”, explicou.

Em Sinop, durante a paralisação dos caminhoneiros, várias empresas revendedoras de Gás Liquefeito de Petróleo (gás de cozinha 13 quilos) também ficaram sem recargas. Algumas chegaram a fechar as portas, enquanto não tinha estoque.

Os motoristas também sofreram com a falta de combustível. Cerca de 6 dias depois da paralisação começaram a chegar algumas cargas e demorou aproximadamente uma semana para normalizar abastecimento de gasolina, etanol e diesel.