Economia

Rondonópolis aumenta exportação em 33%, tem melhor período da década e se consolida como maior vendedor de MT

O município de Rondonópolis vem se consolidando como maior exportador de Mato Grosso e começa a abrir vantagem sobre Sorriso, que historicamente ocupava o topo. Dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) apontam que no primeiro quadrimestre deste ano o município da região Sul já comercializou U$ 789 milhões contra U$ 597 milhões de Sorriso.

Além da liderança estadual, os números posicionam Rondonópolis bem no cenário nacional, ocupando a 14ª colocação, respondendo por 1% de tudo que o Brasil envia ao mercado exterior. No estado, 11,1% do que é exportado sai do município.

Os números do primeiro quadrimestre de 2021 são, disparados, os melhores dos últimos dez anos. Só em relação ao período passado, que era o melhor até então, o crescimento é de 33%. Entre janeiro e abril de 2020 as exportações eram de U$ 604 milhões. A variação positiva é de U$ 185 milhões.

Com as importações em alta de 8,5% e chegando à casa dos U$ 248 milhões, o saldo da balança comercial é superavitário e está em quase U$ 540 milhões. Rondonópolis também é o município que mais importa em Mato Grosso, responsável por 39% das compras do exterior.

Como na maioria dos municípios exportadores de Mato Grosso, a soja é o principal produto de Rondonópolis. A torta ou os resíduos sólidos da extração do óleo representam 49% das vendas, o grão outros 30% e o óleo da soja tem 4% do mercado. O algodão é o segundo produto mais comercializado, com 12% das vendas e o restante se concentra em carnes e produtos da pecuária.

Os parceiros comerciais também são diversos, mas a maior concentração de vendas está na Ásia. A China compra 34% da produção, seguida da Indonésia com 21%, da Tailândia com 11%, do Vietnã com 5,9% e da Holanda com 3,9%.

Só Notícias/Marco Stamm (foto: assessoria/arquivo)