Economia

Provável moratória na agricultura poderá prejudicar madeireiros, diz Sindusmad

O presidente do Sindusmad- Sindicato das Indústrias Madeireiras do Norte de Mato Grosso-, Jaldes Langer, disse hoje que, se for confirmada a moratória de um ano para o setor agrícola, evitando desmatamentos e a abertura de áreas, vai ter reflexos no setor madeireiro. “As árvores que eram abatidas para expansão de áreas agrícolas estavam sendo utilizadas por indústrias madeireiras em vários municípios do Nortão. Além de prejudicar o setor agrícola também trará dificuldades para o madeireiro”, disse Langer, em entrevista na Rádio Meridional FM. “Estão nos enrolando e cedendo as pressões internacionais”, acrescentou.

O deputado Welington Fagundes, que ontem também participou de audiência com a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, tratando das medidas ambientais, também criticou a proposta do Ministério do Meio Ambiente que vai prejudicar o “desenvolvimento de um Estado essencialmente produtor”. “Se o governo não teve capacidade para fiscalizar seus servidores envolvidos em corrupção (referindo-se as descobertas feitas pela Operação Curupira) o setor produtivo não pode ser punido com medidas de reorganizaçao interna dos órgãos governamentais”, afirmou. “No encontro de ontem houve avanços porque houve avanços nas conversações entre Governo Federal e o Governo de Mato Grosso para que haja uma atuação conjunta para coibir as irregularidades”, acrescentou.

O setor madeireiro não vai ser inserido no pacote de moratória do Ministério do Meio Ambiente.