Economia

Peixoto de Azevedo encerra mês demitindo mais funcionários; agro teve pior resultado

As indústrias e empresas de Peixoto de Azevedo (200 quilômetros de Sinop) encerraram agosto demitindo mais do que contratando. O Ministério da Economia apontou, por meio do relatório do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que o município dispensou cinco trabalhadores a mais, que estavam carteiras assinadas, resultado de 92 admissões e 97 desligamentos.

O pior saldo foi do setor agropecuário, que fechou 17 postos de trabalho, ao admitir 4 trabalhadores e dispensar 21. Na indústria, foram registradas 17 formalizações e 18 rescisões de contratos trabalhistas, o que resultou em 1 vaga a menos.

Outros três setores da economia peixotense, por outro lado, tiveram resultados positivos em agosto. O melhor foi do comércio, que contratou 6 funcionários a mais, diferença entre 47 admissões e 41 demissões. No setor de serviços, houve o acréscimo de 5 novos postos de trabalho, saldo de 19 formalizações e 14 rescisões. Já na construção civil foram empregados 5 trabalhadores e 3 foram dispensados.

Só Notícias apurou que, apesar do resultado negativo em agosto, o saldo do ano em Peixoto é positivo. Entre janeiro e agosto, o município já gerou 67 novas vagas com carteiras assinadas, diferença entre 856 contratações de 789 demissões.

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: assessoria/arquivo)