Economia

OAB alerta para situação de caos no Nortão

A economia na região Norte de Mato Grosso está em franca decadência, com o principal indicar apontando para um número elevado de demissão de trabalhadores em todas as atividades. O alerta foi trazido ao presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Francisco Faiad, pelo conselheiro Wilmar David Lucas, que indicou a necessidade de se buscar uma solução urgente para o problema, com intervenções junto ao Governo e bancada polítca de Mato Grosso. “Enfrentamos um risco muito grande, um verdadeiro caos social” – ele ponderou.

Wilmar relatou que a crise provocada especialmente pela paralisação da atividade madeireira está se estendendo muito rapidamente por todos os setores da atividade empresarial do Norte do Estado. Os postos de trabalho nas empresas que processam a madeira estão sendo fechados e sem giro de capital no mercado. “Logo essa situação vai atingir as empresas, começando pelas de menor porte” – comentou. O conselheiro observou que não existe uma perspectiva para a retomada do setor.

“Isso nos preocupa muito porque estamos a beira do caos” – alertou. A crise atinge indisitintamente todos os municípios do Norte e Noroeste do Estado. “Por causa da corrupção no Ibama, a sociedade está pagando um alto preço. Isso é algo muito injusto”.

O presidente da OAB, Francisco Faiad, disse que a entidade já teve oportunidade de se manifestar a respeito do assunto. Ele disse que considera a situação preocupante e que é preciso que as autoridades entendam de vez que as empresas que vinham operando dentro da legalidade não podem ser penalizadas por medidas extremas como as que vem sendo adotadas pelo Ibama. “Quem estiver realizando desmatamento deve ser devidamente punido. Existem meios para tal, sem penalizar quem está dentro das regras” – assinalou.

Francisco Faiad disse que pretende ampliar a discussão sobre o assunto com o secretário de Meio Ambiente, Marcos Henrique Machado. Faiad disse que o secretário também já teve oportunidade de manifestar preocupação quanto ao problema, em especial quanto a possível maratória desejada pelo Ministério do Meio Ambiente, como forma de frear o desmatamento.