Economia

Municípios de Mato Grosso recebem mais de R$ 38 milhões por abrigarem estruturas de mineração

A Agência Nacional de Mineração (ANM) repassou mais de R$ 38 milhões para 27 municípios de Mato Grosso, referentes a Compensação Financeira pela Exploração Mineral (CFEM), por abrigarem estruturas de mineração como barragens de rejeitos, plantas de beneficiamento, pilha de estéril, refeitórios, estação de tratamento de água e demais componentes que possibilitam a extração de minérios.

O município de Aripuanã (700 km a Noroeste de Cuiabá), que abriga o maior investimento da Nexa no Brasil, recebeu mais de R$ 22 milhões, o que representa 59% de toda verba destinada ao Estado. Os municípios de Diamantino (R$ 7.3 milhões), Vila Bela da Santíssima Trindade (R$ 2.4 milhões), Tangará da Serra (R$ 1.6 milhão), Porto Esperidião (R$ 1.4 milhão) 9) e Colniza (R$ 1.4 milhão) completam a lista de localidades mato-grossenses que receberam mais de R$ 1 milhão via compensação.

“A vocação da indústria da mineração é agregar valor à matéria-prima bruta encontrada na natureza e transformá-la em produtos mais elaborados. Esse processo, realizado com segurança, tecnologia e sustentabilidade, como é feito pela Nexa, gera empregos, distribui salários e arrecada impostos, que depois voltam como benefícios para a sociedade”, afirma o presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso, Gustavo de Oliveira, através da assessoria.

Só Notícias (foto: assessoria)