Economia

Madeireiros e comércio em Porto dos Gaúchos aderem a manifestação

Em Porto dos Gaúchos (150 km de Sinop), segundo declarações do prefeito local, Revelino Trevisan, a paralização deflagrada pelo setor madeireiro conta já com 100% de adesão. Na cidade, apenas a emergência do hospital e a farmácia plantonista estão funcionando. Um grupo faz piquete na porta da agência do Banco do Brasil, que neste momento só tem seus funcionários lá dentro. Não entra nem sai niguém de dentro do banco. O prefeito também declarou ponto facultativo, aderindo ao movimento popular das pessoas que trabalham no setor madeireiro do Vale do Arinos.

Na reunião marcada para as 14 horas, em seu município, será discutido o rumo que o Vale do Arinos deve tomar. “Se nenhuma providência for tomada pela federação, estaremos condenados a falência. Precisamos da agilidade do IBAMA, em regularizar com urgência a condição dos madeireiros de Mato Grosso para que possam voltar as atividades normais. Em Porto, nossa arrecadação de junho já foi 43% inferior à abril e maio, e calculamos