Economia

Madeireiras do Nortão terão projeto para fortalecer exportações

Cerca de 200 indústrias madeireiras de Sinop e região serão beneficiadas com o Projeto de Incentivo à Exportação (PIEX) do Senai (Serviço Nacional das Indústrias) até o final do ano. O projeto será desenvolvido em conjunto com o Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, com a Secretaria do Estado de Indústria, Comércio, Minas e Energia e deve ser oficializado em dois meses.

“Queremos levar um serviço de consultoria, para desenvolver junto às empresas, a aptidão para exportação. Desenvolver a competência nos profissionais das empresas para vender dentro do paí e também para o exterior”, explicou ao Só Notícias, o diretor do Senai em Mato Grosso, Gilberto Gomes de Figueiredo.

O projeto será desenvolvido num período de doze meses, nas empresas, e terá um investimento de aproximadamente R$ 800 mil. As equipes das indústrias madeireiras selecionadas receberão cursos de treinamento e assessoria tecnológica para aprimorar seus produtos e ter condições de entrar no mercado externo.

“A exigência principal é que esteja com disposições de entrar no mercado exterior e tenha uma estrutura mínima para receber essa consultoria”, ressalta. Com o lançamento do projeto, as empresas devem procurar o Senai e fazer a adesão. “Nós pretendemos atingir 200 empresas com consultoria, sem custos”, complementa Figueiredo.

Sinop possui hoje 280 indústrias madeireiras que empregam diretamente cerca de cinco mil pessoas. Parte delas exporta compensado pela Bélgica, Holanda, Reino Unido, Estados Unidos e outros países.

As exportações de madeira em, Mato Grosso, mesmo com toda a turbulência que atravessa o setor, cresceram 1,87% em relação ao ano passado. Foram exportados, até agosto, de acordo com a Fiemt 269,5 mil kg de madeira. O volume mais significativo foi de madeira serrada que totalizou em negócios US$84,9 milhões.
A quantidade de objetos de madeira exportados movimentou US$2,84 milhões. O setor de madeira perfilada, teve uma queda de 15,88% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram exportados 122 mil kg do produto, de acordo com a FIEMT- Federação das Indústrias de Mato Grosso-.